Denominação química
Calciferol
A vitamina D3 é a provitamina natural que antigamente se denominava «vitamina D». A vitamina D3 é um produto de irradiação do 7-dehidro-colestrol. A vitamina D2 ou calciferol é um produto de irradiação do ergosterol.

Função característica
Vitamina anti-raquítica.

Modo de actuação
Regula o metabolismo do fósforo e do cálcio. Melhora, essencialmente o metabolismo do cálcio e permite a formação do complexo de cálcio-fósforo, necessário para a ossificação normal. Fomenta o desenvolvimento.
Também devem corresponder ás vitaminas D outros efeitos, até agora desconhecidos. Já se conhece a sua relação com a glândula paratiróide que regula sobretudo o metabolismo.

Fontes naturais
Em óleo de fígado de peuixes (emulsºoes de fígado de bacalhau, atum, mero), leite, ovos, manteiga, levedura.

Necessidades diárias no homem

Adultos e crianças:
400-800 U.I
Durante a gravidez e a amamentação:
800-1000 U.I
Abortos:
800-1400 U.I

Uma U.I corresponde a 0.25 gramas de vitamina D2 e D3 pura.
Uma unidade clínica corresponde a 100 U.I.

Fenómenos produzidos pelas carências vitamínicas

A presença de vitamina D no organismo deve ser completada, continuamente, pois, de contrário produz-se um rápido empobrecimento de vitamina D. Nos meninos de peito ou pequenos, a falta de vitamina D leva ao raquitismo e a uma prematura queda dos dentes. Estes não se desenvolvem, estão mal colocados ou apresentam defeitos de estrutura.
Nos meninos mais crescidos e nos adultos, apresentam-se sintomas evidentes de raquitismo, tais como anomalias e deformações do tórax, pélvis, articulações, «colar raquítico» e fracturas de ossos.

Doenças que o emprego da vitamina cura ou melhora

Redução e desaparecimento do raquitismo, das tendências epilépticas infantis, estímulo do desenvolvimento dental, enfraquecimento ósseo, descalcificação óssea, reumatismo articular crónico, eczema crónico, tuberculose óssea articular, cutânea e mucosa (lupus vulgaris).

Comentários