O conhecido tomate (Solanum lycopersicum) pertence à família das Solanáceas. Procede do Peru. O número de variedades desta solanácca que se encontra em Portugal é muito grande, de acordo com a intensidade com que é cultivado.
As mais importantes são: a corrente, de tamanho médio (5 a 10 cm), comprimidos pelos planos superior e inferior; o redondo, bastante pequeno (2-3 cm) de polpa muito apertada; o oblongo, piriforme; o monstro, notável pelo tamanho que pode chegar a pesar um quilo e que tem uma rodela cinzenta em torno do pedúnculo.

Descobriu-se, recentemente, nos talos e folhas de todas as plantas de tomate uma substância antifúngica, a «tomatina», que não só impede as doenças vegetais, como também actua no fungo filamentoso que produz no homem a doença da pele «Pityriasis versicolor». A nova substância também demonstra ser um material básico útil para uma série de produtos medicinais de grande valor da série de produtos hormonais (cortisona, etc).

Composição

Segundo nutricionistas, o tomate contém em cada 100 g de polpa fresca e seca ao ar, 92,37 % de água, 1,25 % de elementos nitrogenados, 0,84 % de lignina e 0,63% de cinzas. Também se encontram solanina, saponinas, corantes e vitaminas, especialmente A.
O tomate fresco contém uma tão abundante quantidade e variedades de vitaminas que poucos alimentos vegetais se lhe podem comparar, sobretudo no tocante às vitaminas A, B. C e E.
O teor em matérias minerais está à altura da maioria das hortaliças de folhas e tubérculos, contando, alem disso, com elementos raras vezes presentes nestas, como são: rádio, ferro, cobre, boro, níquel cobalto. O teor de vitamina E, desconhecido até há pouco, talvez justifique a antiga designação do tomate como «maçã erótica».

Aplicações terapêuticas

O tomate possui grandes condições preventivas, o que o torna muito importante para o tratamento vitamínico nas perturbações do crescimento, doenças da dentição, pobreza de sangue e falta de resistência contra as infecções.
Pelas matérias componentes até agora conhecidas, é fácil compreender que os tomates podem exercer grandes efeitos como alimento dos doentes, como renovadores do sangue e no tratamento da gota e doenças dos rins e vias respiratórias: O sumo do tomate, cuidadosamente conservado, apresenta uma considerável quantidade de vitamina C. Na alimentação infantil torna-se especialmente valioso o sumo do tomate, pois substitui perfeitamente o da laranja, muito mais caro; a sua eficácia antiescorbútica está demonstrada clínica e praticamente.

Usos alimentares

Presentemente, o tomate fresco ou de conserva é, no Inverno, um vegetal de grande aceitação popular entre as grandes mudanças na alimentação geral verificadas nos últimos séculos, o tomate tem ganhado paulatinamente um dos lugares mais destacados.
O seu agradável aspecto, a multiplicidade de aplicações, o bom sabor, a fácil digestão e a riqueza em vitaminas têm exercido evidentemente grande influência na sua aceitação.

Comentários