Normas fundamentais par a preparação de um regime são

Normas fundamentais par a preparação de um regime são

O principio fundamental de toda a preparação culinária num regime dietético curativo é o emprego exclusivo de alimentos em perfeitas condições e em todo o seu valor, porque só assim têm transcendência vital. A segunda permissa, não menos importante, tanto para o regime cru como para o da cocção, é uma técnica culinária de preservação do valor dos alimentos. Em pormenor, devem ser lidas em muita conta as seguintes normas: 1. Em lugar de sal refinado, empregar sempre sal marinho. 2. Em lugar de farinha de trigo, utilizar na medida do possível farinha integral. 3. Em lugar dos óleos refinados, mais correntes no mercado, empregar, o mais possível, óleos vegetais.

Batata-Doce

Batata-Doce

Com toda a probabilidade é a América Central a terra de origem da batata-doce (ípomoca batatas), que pertence à família das Convolvuláceas. Cultiva-se hoje na maior parte dos países tropicais e subtropicais. É uma planta anual e herbácea de porte volúvel. A sua propagação realiza-se, como sucede nas balatas, mediante tubérculos. Composição e propriedades Os tubérculos, cujo peso chega a atingir quilo e meio, contêm um suco leitoso e grande quantidade de tanino, especialmente na casca, pelo que os tubérculos apresentam uma cor escura. O teor em amido varia muito, conforme o lugar de origem. Nos trópicos o teor em açúcares ( 10 %) excede o do amido (9 %)..

Leite

Leite

Importância quantitativa do leite como alimento Alguns números permitem uma vista geral da enorme importância do leite na economia nacional. Em Portugal o consumo médio anual dos principais alimentos animais por habitante é o seguinte (1970): Leite…………………………………………………………………………………………………. 46,7 Carne……………………………………………………………………………………………….. 30,5 Peixe………………………………………………………………………………………………… 37,1 Ovos………………………………………………………………………………………………….. 3,9 Queijo……………………………………………………………………………………………….. 2,7 O leite figura quantitativamente em primeiro lugar entre os alimentos animais. Exerce a máxima influência no estado alimentar e sanitário da população. Por isso o fornecimento de leite é de decisiva importância. Não há dúvida de que o leite constitui um alimento básico geral e de que é um alimento universal dos mais importantes, porque contém, como nenhum outro produto natural, todas as matérias.

Salgadura

Salgadura

Salgadura Mediante a salgadura podemos conservar ervas frescas. As folhas ou raízes frescas picam-se, cortando-as o mais possível, não sobre uma tábua mas numa superfície de porcelana ou numa lousa. As ervas picadas misturam-se depois com sal (para 1 quilo de ervas, 150g de sal), apertam-se fortemente em frascos de vidro ou de barro e recobrem-se com uma camada de sal. Fecham-se os recipientes com celofane ou papel-pergaminho e colocam-se em lugares frescos e secos. Assim é possível ter durante o Inverno ervas frescas salgadas como condimentos para saladas. Não é preciso deitar sal nos alimentos quando se cozinham, para não lhes prejudicar o sabor. É de recomendar não pôr.

Excesso no emprego do sal

Excesso no emprego do sal

Necessidade de sal em proporção ínfima  Em princípio está certo o que o nutricionista já formulava: «só a dose que faz com que a coisa não seja venenosa». Basicamente, o sal não é, por si mesmo, um veneno, utilizando-se por isso na homeopatia; mas, na quantidade que se toma na alimentação habitual, uns vinte ou trinta gramas diários, aparecem os efeitos tóxicos de uma coisa evidentemente excessiva. Também é válido para o sal o que já se disse sobre as substâncias puras. O sal comum é cloreto de sódio puro, livre de todos os aditamentos naturais, antigamente chamados «impurezas». Temos, assim, de voltar ao produto natural, isto é, ao sal.