Borragem

25 Jul 2017
Comments
Borragem

A família das Borragináccas proporciona-nos como saborosa especiaria vegetal a borragem (Burrago Oficinalis). Espontânea e cultivada encontra-se em quase toda a Península Ibérica. Antes e durante a floração cortam-se as folhas à tesoura, pois só se empregam frescas como condimento ou como aditamento a uma salada. As folhas secas perdem sabor e são de conservação difícil. Cortam-se de Junho a Agosto e secam-se o mais rapidamente possível. As flores, empregadas muitas vezes como elemento decorativo, também se colhem. A sementeira faz-se na Primavera em filas; a distância entre os sulcos deve ser de 25 cm. O mais prático é fazer várias sementeiras seguidas, porque as folhas jovens são as mais.

Cogumelos

23 Jul 2017
Comments
Cogumelos

Características Botanicamente considerados, os vegetais chamados cogumelos ou fungos são o aparelho frutificado de uma raiz de crescimento quase sempre subterrâneo, que representa na realidade a verdadeira planta e que tecnicamente se chama micélio. Deste nascem, como rebentos, os cogumelos. Podemos compará-los, em grandes traços, com os frutos dos arbustos das árvores. Como as algas, os líquenes e os musgos, também os cogumelos pertencem às Criptogâmicas. Os seus órgãos de reprodução chamam-se esporos. Os cogumelos apresentam-se em numerosas variedades e classes. Não podem alimentar-se, como as plantas verdes, de substâncias orgânicas obtidas com a ajuda da clorofila a partir da água, os sais inorgânicos do solo e o ácido carbónico.

Pepino

05 Jun 2017
Comments
Pepino

O pepino (Cucumis sativus), como a abóbora, pertence à família das Cucurbiláceas. Composição A ideia bastante espalhada de que o pepino carece de valor nutritivo é equivocada. Não se pode, decerto, classificar o pepino de «nutritivo» no sentido vulgar, pois é muito pobre nos chamados elementos de massa: proteína, gordura e fécula. Consiste principalmente de água, mas pode provar-se a presença nela e em dissolução de vitaminas e minerais, tão importantes numa alimentação completa, como os factores de massa. Com razão se tem popularizado o pepino como alimento em muitas preparações. Os pepinos exercem três efeitos característicos no organismo humano: o diurético, o laxante e o depurativo, que participam proporcionalmente.

Molhos doces

07 Mai 2017
Comments
Molhos doces

Molho de rosa silvestre Três colheres grandes de doce de rosa silvestre, meio litro de sumo e maça ou de uva (ou meio litro de água com sumo de limão), três colheres grandes de farinha de batata. O doce de rosa silvestre dilui-se no sumo de maçã ou de uva e coze-se até ficar espesso com farinha de batata. Pode-se diluir o doce também em água, mas acrescentando sumo de limão. E muito conveniente para pudim de sêmola, arroz e pão, assim como para sanduíches, torradas, etc. Molho doce de azeda Duas colheres grandes bem cheias de farinha, um pouco de leite, duas ou três colheres grandes de azedas bem.

Normas fundamentais par a preparação de um regime são

17 Fev 2017
Comments
Normas fundamentais par a preparação de um regime são

O principio fundamental de toda a preparação culinária num regime dietético curativo é o emprego exclusivo de alimentos em perfeitas condições e em todo o seu valor, porque só assim têm transcendência vital. A segunda permissa, não menos importante, tanto para o regime cru como para o da cocção, é uma técnica culinária de preservação do valor dos alimentos. Em pormenor, devem ser lidas em muita conta as seguintes normas: 1. Em lugar de sal refinado, empregar sempre sal marinho. 2. Em lugar de farinha de trigo, utilizar na medida do possível farinha integral. 3. Em lugar dos óleos refinados, mais correntes no mercado, empregar, o mais possível, óleos vegetais.