Alface

Alface

A alface (Lactuca sativa) em todas as suas formas de cultivo pertence à família das Compostas. Emprego como sedativo nervoso A alface tem fama de actuar como sedativo dos nervos e preparar um sono tranquilo. Esta antiquíssima observação torna-se-nos hoje bastante compreensível, pois a análise química dá-nos um elemento activo, semelhante ao ópio, e que portanto actua como sedativo, somnífero e redutor da tosse; além disso, tem efeito sobre as convulsões devido ao seu teor em pequena quantidade de hiosciamina, também já comprovado. A enorme multidão de pessoas superexcitadas e, por conseguinte, também de insones, deviam nem que fosse só por este motivo, incluir obrigatoriamente na refeição da noite a.

Pratos de batata

Pratos de batata

Ovos e batatas 500 g de batatas cozidas, cinco ovos cozidos, sal, 500 g de tomates ou quatro colheres grandes de puré de tomate, duas ou três colheres grandes de salsa picada, uma cebola grande ou alho porro, 30 ou 40 g de azeite, três quartos de litro de leite ou nata. Todos os ingredientes devem ser finamente picados e são postos em camadas diversas numa forma untada de pudim. Recobre-se depois com leite ou nata e põe-se no forno durante três quartos de hora. Acrescenta-se-lhe finalmente puré de tomate com salada. Pudim de batatas e ervas de cheiro Quatro papo-secos ou igual quantidade de pão, dois copos de leite,.

Nutritivas e estimulantes

Nutritivas e estimulantes

Receita básica para sopas De ervas de cheiro 200g; 30 a 40 g de azeite, 30 g de farinha, um litro de caldo (água ou caldo de verduras), um oitavo de leite ( doce ou ácido) ou soro de manteiga, um pouco de água do mar e um pouco de açúcar. As ervas finamente picadas são refogadas em gordura e põem-se de remolho em líquido quente. Bate-se a farinha com leite e junta-se à sopa, cozendo-se tudo e temperando a gosto com sal. Sopa de couve-flor Uma couve-flor, um litro e um quarto de água, 30 g de manteiga, 30g de farinha, uma gema de ovo, duas colheres grandes de.

Em regimes profiláticos e de cura

Em regimes profiláticos e de cura

Pudim de couve-flor e arroz 220 g de arroz integral espalhado num litro de água com algumas especiarias. Sobre o passador põe-se ao vapor uma couve-flor. Prepara-se uma pasta de farinha com 40 g de azeite, 40 g de farinha e meio litro de caldo de verduras, temperando-a e engrossando-a com gema de ovo. Pode também acrescentar-se um pouco de pão ralado. Numa forma de biscoito com gordura põe-se uma camada de arroz que chegue até metade, colocando depois sobre o arroz a couve-flor partida e a metade do molho. Em cima deita-se o resto do arroz e o molho. No final, polvilha-se com pão e queijo ralado. Deixa-se cozer.

Coentro

Coentro

Entre as Umbelífcras, encontra-se também o coentro (Coriandrum sativum), cultivado e subespontâneo entre as messes e campos de quase todo o Portugal. O coentro semeia-se directamente de Março a Abril em filas de 25cm de separação. O peso de mil sementes é de 9,1 a 9,8 g; a capacidade de germinação é de 77 % em média; germinação em duas ou três semanas. Para 100 m2 calculam-se 250 g de semente, sendo a colheita nessa mesma extensão de uns dez a vinte quilos. Quando os frutos começam a amadurecer cortam-se as plantas ou então debulham-se ou expõem-se ao sol sobre panos até os frutos caírem maduros. O coentro seco é.