Em regimes profiláticos e de cura

Em regimes profiláticos e de cura

Pudim de couve-flor e arroz 220 g de arroz integral espalhado num litro de água com algumas especiarias. Sobre o passador põe-se ao vapor uma couve-flor. Prepara-se uma pasta de farinha com 40 g de azeite, 40 g de farinha e meio litro de caldo de verduras, temperando-a e engrossando-a com gema de ovo. Pode também acrescentar-se um pouco de pão ralado. Numa forma de biscoito com gordura põe-se uma camada de arroz que chegue até metade, colocando depois sobre o arroz a couve-flor partida e a metade do molho. Em cima deita-se o resto do arroz e o molho. No final, polvilha-se com pão e queijo ralado. Deixa-se cozer.

Molhos

Molhos

 Receita básica para molhos de plantas silvestres 150g de ervas, 30 g de azeite, 30 a 40 g de farinha, meio litro de líquido (água ou caldo de verduras eventual mente, em parte, leite), sal a gosto. Com azeite, farinha e liquido prepara-se um molho de farinha branca, à qual se adicionam ervas de cheiro muito picadinhas, deixando-as repousar durante dez minutos. Molho de especiarias vegetais Um ovo, meio litro de leite coalhado ou soro de manteiga, sumo de limão, um pouco de açúcar e especiarias vegetais muito misturadas. A gema de ovo muto cozida, uma vez esmagada, mistura-se com o leite coalhado ou com o soro de manteiga, o.

Normas Gerais

Normas Gerais

Normas gerais A maioria das ervas e verduras silvestres utilizadas como condimentos conservam-se em seco. Já demos normas completas para a sua colheita e conservação, quando tratámos de cada uma delas. A maioria das ervas podem secar-se muito bem, conservando a sua força como condimentos, que às vezes até aumenta depois da secagem. As plantas que vão agora ser mencionadas não servem para serem conservadas a seco ou então suportam-no muito mal e só perdendo muito da sua força como condimentos, pelo que têm de ser consumidas frescas, na medida do possível: alho de urso, borragem, agrião, cerefolho, alho-porro e alho. Todas estas ervas se conservam em lugares sombrios e.

Molhos doces

Molhos doces

Molho de rosa silvestre Três colheres grandes de doce de rosa silvestre, meio litro de sumo e maça ou de uva (ou meio litro de água com sumo de limão), três colheres grandes de farinha de batata. O doce de rosa silvestre dilui-se no sumo de maçã ou de uva e coze-se até ficar espesso com farinha de batata. Pode-se diluir o doce também em água, mas acrescentando sumo de limão. E muito conveniente para pudim de sêmola, arroz e pão, assim como para sanduíches, torradas, etc. Molho doce de azeda Duas colheres grandes bem cheias de farinha, um pouco de leite, duas ou três colheres grandes de azedas bem.