Alcachofras

Alcachofras

Com o nome de alcachofras designam-se as cabecinhas floridas verdes e ainda incompletamente desenvolvidas de uma espécie de cardo (Cynara cardunculus L. ssp. Scolymus), pertencente à família das Compostas, que se cultiva em toda a bacia do Mediterrâneo, mas especialmente na Espanha e na França. Não há dúvida de que os povos do Mediterrâneo já usavam há séculos como alimento esta planta no estado silvestre, devido às suas qualidades nutritivas, às suas brácteas e aos seus receptáculos carnudos. Composição e propriedades Na análise das substâncias que compõem as cabecinhas, encontrou-se inulina, açúcares, tanino e os fermentos inulase, invertase e coalho. Entre as vitaminas encontram-se em 100 g de substancia fresca:.

É imprescindível o regime individual

É imprescindível o regime individual

Do complicado curso da doença e da diversidade das suas manifestações deduz-se que não se pode aconselhar um tratamento uniforme e sistemático, mas que tem de ser estudado cuidadosamente pelo médico para cada caso. Isto diz respeito especialmente ao regime, que deve, o mais das vezes, ser variado, mantendo-se sempre o propósito de reduzir ao máximo o consumo de hidrocarbanatos. Para isso são de recomendar dias de salada, frutas e legumes, dias de legumes e ovo, dias de aveia, fruta e arroz, dias de soro de manteiga, dias de leite integral, dias de jejum e dias de batata. As mudanças destes dias de regime, assim como a ordem para as.

Couves

Couves

A couve (Brassica) pertence à numerosíssima família das Crucíferas (umas 1900 espécies), que compreende quase sem excepção todas as verduras. Contém numerosos óleos consistentes e enxofrados que estimulam o apetite e reforçam assecreções das glândulas, especialmente no tubo gastrintestinal. Esta planta está largamente representada em Portugal. As formas de cultivo mais comuns são a couve portuguesa, a couve galega, a couve lombarda, a couve crespa ou de Sabóia, a couve de Bruxelas, a couve-rábano, a couve-flor, o repolho, os bróculos, os nabos e as nabiças. Composição e propriedades Até hoje, infelizmente, não nos podem dizer muita coisa os químicos a este respeito. Conhece-se, porém, o conteúdo das diferentes variedades de.

Purés de fruta

Purés de fruta

Puré de maçã 500g de maçãs, litro e meio de água, um pedaço de pau de canela, açúcar ou mel, conforme o gosto, uma colher grande de farinha de batata, uni copo de sumo de fruta. As maçãs cortadas aos pedaços cozem-se em água com a canela. Passam-se depois por um coador, cozer-se a pasta uma vez mais e tempera-se com um pouco de açúcar ou mel. Depois de bem remexida a farinha de balata com o sumo da maçã, deita-se na sopa e põe-se de novo a ferver. Antes dc servir, remexem-se quatro colheres grandes de gérmens de trigo. Puré de amoras Um litro de sumo de amoras, duas.

Groselhas vermelhas

Groselhas vermelhas

A groselheira vermelha (Ribes rubrum) é irmã da negra. Espontânea nos matos, encontra-se nas montanhas e apresenta-se com vários nomes. Composição Os médicos medievais apreciavam a groselha, tanto a vermelha como a negra, em todas as doenças agudas dos órgãos digestivos. Isto compreende-se pela sua composição: elevado conteúdo de água (87,4 %), albumina escassa (0,88%), poucos hidratos de carbono (8,5%), poucas matérias minerais (0,63 %) e reduzido número de calorias (46). Pelo contrário, abundante conteúdo de ácidos de fruta (2,5 % de ácidos tartárico, cítrico e malónico), vitamina C (155 mg em 100g) e vitamina B1 (0,08 mg em 100 g).   Emprego como planta medicinal A groselha vermelha em.