Borragem

Borragem

A família das Borragináccas proporciona-nos como saborosa especiaria vegetal a borragem (Burrago Oficinalis). Espontânea e cultivada encontra-se em quase toda a Península Ibérica. Antes e durante a floração cortam-se as folhas à tesoura, pois só se empregam frescas como condimento ou como aditamento a uma salada. As folhas secas perdem sabor e são de conservação difícil. Cortam-se de Junho a Agosto e secam-se o mais rapidamente possível. As flores, empregadas muitas vezes como elemento decorativo, também se colhem. A sementeira faz-se na Primavera em filas; a distância entre os sulcos deve ser de 25 cm. O mais prático é fazer várias sementeiras seguidas, porque as folhas jovens são as mais.

Chicória

Chicória

Uma variedade de cultivo da chicória é a branca. É a «Cichorium Intybus L.», frequente no Centro e Sul de Portugal, em campos secos e cultivados, conhecida pelo nome de chicória amarga. É muito amarga, de modo que o mais pertinente é cortar e esvaziar a extremidade do talo, pois é ali que se acumulam principalmente os componentes amargos. É claro que isto só se faz quando se quer prescindir de tais matérias amargas, que são precisamente as que excitam o apetite e aumentam a secreção biliar. A indicação frequente de lavar os talos e tirar-lhes o sabor amargo com água quente pode fazer com que o amargor se torne.

Ruibarbo

Ruibarbo

Por ruibarbo (Rheum Officinale) entende-se geralmente a raiz seca e pelada de algumas variedades do género «Rheum» oriundo da China e do Tibete. Além do ruibarbo comum, também se cultivam entre nós outras espécies de Rheum, todas elas exóticas e com as mesmas aplicações, como o “Rheum palmatum”, ruibarbo palmeado ou ruibarbo da Rússia. Da forte cepa nasce e cresce rapidamente na Primavera um renovo que chega a dois metros de altura, com as conhecidas folhas largas em forma de coração, os talos ocos e as coroas de flores em forma de cachos. O emprego do ruibarbo para uma depuração na Primavera é a fórmula mais comoda e simples para.

Alho de Urso

Alho de Urso

O alho do urso (Allium ursinum) pertence à família das Liliáceas, e encontra-se espalhado por toda a Europa. Cresce em geral em tufos nas malas húmidas e sombrias. Quando crescem muito juntos, fazem-se notar pelo típico cheiro a alho que se propaga a grande distância. O principal elemento que contém é o óleo de alho de urso no qual até agora se comprovou a presença de hidrocarbonetos de enxofre, vinyl-sulfureto e de vinyl-polisulfureto, pequenas doses de mercaptanos e aldeído (Semmler). Efeitos medicinais O alho tio urso influi nas glândulas do trato gastrintestinal como excitante, aumentando a secreção de toda a classe de sucos digestivos e especialmente da vesícula. Impede-se o.

Salva

Salva

A salva (Salvia officinalis) é um representante da família das Labiadas. Encontra-se, presentemente, em quase todo o Portugal, embora não seja muito abundante. O cultivo é possível em qualquer terreno, porque a planta não é muito exigente. A reprodução efectua-se mediante espeques de plantas antigas ou por sementes. A sementeira tem de ser feita em campos livres ou em alfobres. Com 20 g de sementes conseguem-se plantas para uma superfície de 100 m2. O peso de mil grãos de semente vem a ser de 5,8 a 8,9 gramas. Os cortes repetidos e abundantes favorecem o crescimento da folhagem. A partir do segundo ano conseguem-se normalmente colheitas abundantes. Num are podem.