A alimentação no tratamento e profilaxia da paralisia infantil

A alimentação no tratamento e profilaxia da paralisia infantil

No tratamento da paralisia infantil (poliomielite), conforme as experiências obtidas durante os últimos anos, volta-se a dar grande importância à alimentação. Em todas as doenças infecciosas produz-se durante a fase aguda um maior consumo de proteínas, gorduras, vitaminas e fermentos. Isto exige também a paralisia infantil, expressando-se tal facto com a perda considerável de peso durante as primeiras três a seis semanas. A perda de substância orgânica é de grande importância para a capacidade defensiva nesta grave doença. As substâncias defensivas estão geralmente unidas com um núcleo proteínico e devem estar representadas na alimentação diária. Verifica-se realmente nos três primeiros dias nos doentes de paralisia infantil um crescente aumento de.

Substituição de alimentos crus por cozidos

Substituição de alimentos crus por cozidos

Experiências significativas  O efeito da substituição de alimentos crus ou frescos por alimentos cozidos foi muito discutido e levou a grandes divergências e a normas de nutrição bastante extremadas e estritas. Especialmente, causaram notável impressão os ensaios sobre comida cozida, dando lugar a numerosas comprovações. Posição eclética  Não podemos deixar de reconhecer que a panela na cozinha não trouxe só males, mas também vantagens. Mediante o processo da cocção puderam aproveitar-se, pela primeira vez,numerosos produtos naturais para a alimentação humana, o que implicou uma considerável ampliação da alimentação básica. A cocção facilita ao intestino a absorção dos alimentos e evita-lhe assim parte do seu trabalho, ou é a única maneira de.

Essência fundamental do cancro

Essência fundamental do cancro

O cancro é essencialmente o proteste de grupos de células, a princípio pequenas, mas cada vez maiores, contra a considerável deformação das condições naturais na vida das células, contra a irritação e sobrecarga durante muitos anos, no interior e desde o exterior, das suas funções naturais e das suas manifestações vitais, coincidindo com a insuficiência das matérias ativas e regeneradoras imprescindíveis. O cancro equivale a um absurdo motim dos oprimidos até ao suicídio; é a revolução desesperada contra a irracionabilidade humana. No fundo, o cancro é um sintoma do nosso afastamento da natureza, da falta de sossego e de direção que adquire a sua expressão final no aspecto corporal com.

Agrião

Agrião

O agrião comum ou de poço (Nasturtium officinale) pertence à família das Crucíferas. Frequente nas fontes, regatos, solos encharcados, cresce espontaneamente, mas é cultivado nalguns locais. Pode confundir-se com o Sium Latifolium. umbelífera tóxica que também se dá nos cursos de água. Colhem-se-lhe as folhas de Fevereiro até o Outono. As folhas recolhidas antes da floração empregam-se cruas para saladas. Secos, os agriões têm um sabor indefinido. Composição e propriedades Os elementos activos até hoje conhecidos são: óleo essencial com teor de enxofre, vitaminas A, B, C e E, iodo, nitrato, um glicósido de óleo de mostarda (a gliconasturina que, decompondo-se, produz, entre outros elementos, um óleo essencial com óleo.

Alimentos utilizados no regime

Alimentos utilizados no regime

Segundo a prescrição do nutricionista são permitidos os seguintes alimentos: fruta crua, raízes cruas, leite cru, manteiga, flocos de aveia crus, pão integral, ovos crus e mel. Entre a fruta figuram: maçãs, peras, ameixas, avelãs, nozes, sementes de girassol, feijão verde tenro, cerejas, uvas, pêssegos, uva, groselha, framboesas, amora, laranjas, bananas, amêndoas, castanhas americanas, flocos, amendoins, tomates, cerais (grãos de trigo e de centeio germinados) e frutos secos (tâmaras, figos, passas de corinto e de Málaga). Entre as raízes contam-se, principalmente, as cenouras e o nabo. Depois de haver observado durante dez anos o efeito deste regime em mais de 2500 doentes, julga o nutricionista (cujos doentes foram cuidadosamente observados.