Salgadura

Mediante a salgadura podemos conservar ervas frescas. As folhas ou raízes frescas picam-se, cortando-as o mais possível, não sobre uma tábua mas numa superfície de porcelana ou numa lousa. As ervas picadas misturam-se depois com sal (para 1 quilo de ervas, 150g de sal), apertam-se fortemente em frascos de vidro ou de barro e recobrem-se com uma camada de sal. Fecham-se os recipientes com celofane ou papel-pergaminho e colocam-se em lugares frescos e secos. Assim é possível ter durante o Inverno ervas frescas salgadas como condimentos para saladas. Não é preciso deitar sal nos alimentos quando se cozinham, para não lhes prejudicar o sabor. É de recomendar não pôr de conserva todas as folhas e raízes num recipiente, mas só as mais importantes, ou separadamente ou com determinadas misturas; por exemplo, um recipiente com folhas para saladas, como borragem, pimpinela, endro, estragão, agrião, manjericão e erva-cidreira, e outro com ervas para sopa, como salsa, cerefolho, manjerona, tomilho, folhas de aipo, segurelha, e um terceiro com raízes, como cenouras, aipo, raízes de salsa, etc. Há, ainda, muitas outras combinações que a dona de casa pode experimentar, conforme o seu gosto, até chegar a dominar a arte puramente pessoal dos condimentos.

Comentários