Pode recomendar-se o plano seguinte:

Principio dietético: procurar uma oscilação deficitária de energia, isto é, aumentar o desgaste e restringir as assimilações. A nutrição deve ser deficiente, não cobrindo o desgaste do corpo. Continuar na subalimentação até se conseguir a perda de peso conveniente. As quantidades mais reduzidas de alimentos consumidos podem lentamente converter-se em costume.

1. Não tomar diariamente mais de 20 g de gordura (incluindo a da preparação dos alimentos), Falando de gordura, apenas nos referimos à manteiga e ao azeite batido a frio.

2. Beber pouco, Ou então meio litro de leite desnatado, uma chávena de infusão de desjejum.

3. Legumes e fruta, ilimitadamente.

4. Os alimentos portadores de hidrocarbonetos concentrados, tais como pão, batata, arroz, sêmola, flocos de aveia, macarrão, farinha branca, tudo isto se devem reduzir radicalmente.

5. Evitar as sopas por causa da necessária eliminação de líquidos.

6. Na medida do possível, nada com sal, porque 1 grama de sal fixa uma quantidade de água cem vezes maior. Os sais necessários ficam garantidos pelo suficiente consumo de alimentos crus ou pelo consumo de água do mar em jejum.

7. Um dia por semana, dieta de leite (regime Karell) na qual só ó permitido um litro de leite como alimento exclusivo ou dieta de fruta (aproximadamente 1200 g crua ou cozida) ou dieta de arroz e compota de maçã. Para isso cozem-se 250 g de arroz em água, e sem sal nem açúcar tomam-se com 50 g de maçã (sem açúcar).

8. As medidas complementares são: ginástica, passeios (sobretudo durante uma hora à tardinha), natação ou qualquer outro desporto aquático.

Comentários