Características e causas

De cem homens de meia idade, mais de oitenta sofrem de
lesões nas gengivas e fraqueza nos dentes, às vezes com fenómenos inflamatórios nas mandíbulas (paradentite) e formação de bolsas purulentas nos orifícios dentais (piorreia alveolar). Na realidade, a gengivite, com ou sem inflamação, está
muito espalhada e situa-se à mesma altura que a cárie. Não se pode fugir à impressão de que a dentadura humana está condenada em proporções cada vez maiores à destruição, contra o que nada pode a sacrificada actuação dos dentistas, embora disponham de uma excelente e sublilíssima técnica.
A hemorragia nas gengivas e a fraqueza dos dentes, cada vez mais pronunciada, são a introdução da rápida chegada, sem estorvos, da doença das gengivas que se chama paradentose.
Entre as causas figuram, com as de efeito puramente local e mecânico, como os desvios maxilares, com a sua consequente defeituosa mastigação e as sobrecargas de determinadas partes da dentadura, as causas puramente internas, como a nutrição defeituosa e insuficiente e as inevitáveis perturbações no metabolismo.
Como no caso da cárie, temos de procurar distinguir na inflamação das gengivas entre a possível origem externa e a interna. Ou então ficarmos convencidos de que raramente há uma só causa a originar a paradentose.

Papel das avitaminoses

Médicos argentinos observaram numerosas crianças, tendo comprovado que quase todas apresentavam graves alterações patológicas na cavidade da boca. A maior parte eram inchaços ou inflamações das gengivas, nos casos graves inclusivamente pus entre a gengiva e os dentes, acabando estes por enfraquecer e, finalmente, por cair. Considerou-se a enfermidade como insuficiência de vitamina e seguiu-se depois o processo curativo com diversas vitaminas em vários grupos de crianças. O primeiro grupo recebeu vitamina A, conhecida como vitamina de protecção para as células da pele e da mucosa, e vitamina C, cuja falta é sempre considerada a causa de modificações características nos dentes e nas mandíbulas. Não houve bons resultados. Mas desde que se completavam as duas vitaminas com tabletas de levedura de cerveja, que contém principalmente muitos factores da vitamina B, conseguia-se rapidamente uma melhoria.
Um segundo grupo de crianças só recebeu tabletas de levedura de cerveja. Nestas crianças iniciou-se já uma melhoria passados quatro a seis dias, registando-se a cura total num prazo de dois a três meses. Ao demonstrar a eficácia de cada factor do grupo de vitaminas B, estes factores separadamente tornavam-se mais fracos do que em conjunto.
Do que se disse podemos concluir a importância de uma subministração completa de vitaminas através da alimentação diária. Entre os factores isolados do grupo de vitaminas B ressalta a especial eficácia do ácido pantoténico nos tecidos da gengiva.
Hoje sabemos que o ácido panloténico é insubstituível no homem, tanto para a formação como para a conservação da função normal dos tecidos. A sua falta leva o homem a transtornos metabólicos que se reflectem de modo especialmente prejudicial na pele e na mucosa, reduzindo a capacidade de resistência contra as infecções. Por conseguinte, para evitar e curar as doenças dos dentes, faremos muito bem se só preferirmos aqueles alimentos que contêm em maior quantidade ácido pantoténico, como o consumo de cereais em cru (receitan.º 91), gérmens de trigo (e também a receita n.° 87) e levedura.
Outras experiências afirmam que também o cálcio, a vitamina C e a vitamina D podem ser úteis nas fases iniciais de doenças de dentes relacionadas com a hemorragia das gengivas e o enfraquecimento dos dentes. A íntima relação que existe entre as vitaminas D e C e o metabolismo dos minerais fazem com que consideremos o seu emprego perfeitamente justificado.

Normas gerais

É evidente que só se pode conseguir uma cura completa destas afecções mediante medicamentos em
casos extraordinários. Mas, em geral, só é precisa a subministração completa de matérias alimentícias e minerais, funcionais e activas, tal como unicamente nos é garantido num consumo natural e prudente de frutas, saladas, legumes, leite e produtos de cereal integral.
Semelhante alimentação deve praticar-se já nas senhoras no seu estado interessante, se se quiser evitar que os seus filhos venham a ter lesões no sistema maxilodentário, cujo efeito visível se produzirá em idade muito mais adiantada da sua vida.

Comentários