Já de há anos a esta parte que os mais conhecidos especialistas de nutrição defendem o consumo do pão integral,
visto as suas vantagens perante o pão branco serem muito maiores do que geralmente se supõe.
1 —As proteínas do pão integral são biológica mente muito mais valiosas do que as do pão fino ou médio, incompleto e pobre. Tanto as proteínas de germe como as de glúten são muito bem assimiladas pelo homem.
2 — 0 pão integral é a fonte mais importante de vitamina B e ocupa o primeiro lugar alimentar. Com um consumo diário aproximadamente de 250g fica coberta, de unia maneira geral, a quantidade necessária dessa vitamina, o que também economicamente tem a sua importância.
3 — O pão de grão integral regula a actividade intestinal, por causa do seu elevado teor em celulose, e combate a prisão de ventre.
4 — As enfermidades dentárias, cada vez mais espalhadas, e que se notam de maneira assustadora entre os jovens, não só são combatidas pelo consumo do pão integral, como também com esse consumo podem ser evitadas logo de princípio.
O consumo do pão integral colabora essencialmente na luta contra a degeneração lenta e a decadência prematura do nosso organismo. Portanto não são apenas as vitaminas as responsáveis pela conservação da saúde, mas podemos concluir dos estudos sobre nutrição nas últimas décadas que os componentes do grupo de vitamina B, que obtemos sobretudo do pão, contam entre Os elementos essenciais da alimentação humana. Não basta tomar a vitamina em comprimidos, porque os elementos naturais, além dos componentes activos que conhecemos, contém outros muitos ainda por descrever. Quando chegamos a averiguar o que de essencial representa a vitamina B, factor isolado pertencente no grupo de vitaminas B, para o bom estado do sistema nervoso, o apetite normal, a perfeita digestão, o funcionamento regular do coração e o bem-estar geral, podemos
apreciar facilmente os prejuízos a que o corpo se expõe quando sofre uma prolongada insuficiência de elementos vitais do complexo vitamínico B. Mas disto seremos nós os culpados, por empregarmos exclusivamente na nossa alimentação a farinha e o pão branco.
Como a exigência do consumo predominante do pão integral apresenta para muita gente uma série de dificuldades, como sejam a mastigação defeituosa por doenças dos dentes, das gengivas, do estômago e, intestinos, é preciso modificar tal exigência nestes casos, complementando a alimentação, pobre quase sempre numa serie de factores essenciais para a boa saúde, mediante o consumo de gérmen de trigo.

Comentários