Excesso de proteínas animais

Excesso de proteínas animais

Necessidade de proteínas  A chamada «questão proteínica» já excitou muito os ânimos, mas precisamente neste aspecto levou a investigação moderna aos mais assombrosos e importantes conhecimentos e esclarecimentos. Os ditos estudos servem de base às seguintes conclusões: As proteínas são, para nós, matéria vital imprescindível, da qual — tanto segundo as antigas doutrinas sobre nutrição como as modernas — necessitamos de uma média de 60 a 90 gramas por dia. Não é esta a quantidade mínima suficiente, mas a mais favorável possível. Há que ter muito em conta que tanto um contributo insuficiente como uma alimentação excessiva de proteínas podem originar prejuízos no organismo. A doutrina de que a proteína.

Cultura e incultura

Cultura e incultura

Toda a autêntica cultura exige, previamente, um determinado estado de fé. Tanto nos aspectos material como espiritual, tal estado de fé manifesta-se mediante a convicção de a pessoa poder conhecer-se amplamente e desenvolver-se partindo das próprias possibilidades, mediante um trabalho entusiasta. No aspecto espiritual, trata-se da convicção referente a normas e valores morais que têm de se alcançar e pôr em prática. Quer dizer: vivificar-se. O «ter cultura» significa conseguir o domínio sobre si mesmo, sobre as más inclinações e paixões. E a formação de um carácter firme e moral, um anelo mais para lá da vida, uma ponte entre o que os nossos sentidos captam e não captam, o passo para.

Alimentos pobres em estimulantes intestinais

Alimentos pobres em estimulantes intestinais

Função das «matérias inertes»  As «matérias inertes» como já dissemos no caso da digitalina, quando tratámos do problema de «substâncias puras ou misturas naturais», têm o seu significado e a sua função. Assim, na digestão, o que não é digerível não é lastro sem valor que tem de ser eliminado; efectivamente, estimula, embora só mecanicamente, as paredes intestinais, excita a função do intestino e actua assim eficazmente contra a prisão de ventre, de que hoje sofre a maior parte dos homens civilizados. A alimentação rica cm substâncias cruas contém sempre suficiente  quantidade de celulose «não-digerível». Uma evacuação intestinal mais rápida e perfeita evita a «putrefacção das proteínas» e, por isso,.

Vitamina B6

Vitamina B6

Modo de actuação A vitamina B6 é um factor necessário no metabolismo das proteínas e, por conseguinte, no geral das células. Considera-se  geralmente, como reguladora do metabolismo dos tecidos hepáticos, do sistema nervoso e da pele. Para muitos animais microscópicos, bactérias e leveduras, actua como factor de crescimento e nos ratos,  como factor que impede as inflamações cutâneas. Fontes naturais Leveduras, cereais, legumes verdes, leite, gema de ovo. Necessidades diárias no homem Ainda não suficientemente conhecido; aproximadamente, 2-4 mg; U.I ainda sem determinar. Fenómenos produzidos pela falta de vitamina Ao passo que nos animais se conhecem características de carência (sintomas cutâneos nos ratos, cerebrais, nervosos e de anemia em cães.

Vitamina Bc

Vitamina Bc

Designação química e função característica Acido folínico Acido fólico Modo de actuação Juntamente com outros factores (por exemplo, vitamina B12) o ácido fólico favorece a formação e a maturação de glóbulos vermelhos. Parece ser também necessário para o funcionamento normal das mucosas das vias digestivas. Fontes naturais O ácido fólico aparece de forma complexa no leite, queijo, legumes, couve-flor e de forma mais livre nos espinafres. Inumeráveis animais microscópicos podem sintelizar ácido fólico. Necessidades diárias no homem Apenas por cálculo, 0,1-0,2 mg ou mais. Unidade internacional por determinar. Fenómenos produzidos pela falta de vitamina Interrupção do crescimento, diminuição de hemoglobina e do número de glóbulos vermelhos e das plaquetas necessárias.