Mostarda Negra

Mostarda Negra

A mostardeira negra (Brassica Migra) é da família das Crucíferas. Frequente nas searas, campos e caminhos do Minho, Estremadura e Alentejo. Em pequenas quantidades, cortam-se e atam-se em feixes os talos, a partir de Julho, depois de as bainhas adquirirem um tom amarelado; estendem-se em seguida num pano. Os grãos de cor pardacenta-amarclada caídos conservam-se secos em recipientes de vidro, devendo com frequência ser observados e agitados. A mostarda negra costuma cultivar-se também em terrenos pobres e climas duros; mas é melhor o solo arenoso que lenha húmus. A humidade do terreno encharcado é prejudicial. O esterco de cavalariça fresco afecta a formação do fruto, favorecendo o desenvolvimento da folhagem..

Funcho

Funcho

À família das Umbelífcras pertence o funcho (Foeniculum officinale), que no estado silvestre se encontra nas sebes, margens dos campos, entulhos e entre as rochas em todo o Portugal. No Outono, corta-se a planta a 5 cm do solo, desenterram-se os renovos e dispõem-se atados numa cova que se recobre cuidadosamente com palha ou terra. Na Primavera do segundo ano transplantam-se as plantas mais desenvolvidas para o campo propriamente dito, onde as flores e os frutos amadurecem. Plantam-se de dois em dois à distância de 50 a 70 centímetros. O tempo da germinação é de três semanas. Os frutos amadurecem a partir de Setembro. As umbelas centrais, que são as.

Calendário de Condimentos

Nome popular e científico Parte da planta usada Colheita Emprego Açafrão (Saturela hortensis) Estigmas secos Setembro a Outubro Sopas, massas, pastelaria, queijo, manteiga Alecrim (Rosmarinus officinalis) Folhas frescas e secas Abril a Agosto Molhos, vegetais crus, saladas, peixes, aves, caça Alho (Allium sativum) Folhas, bolbo Julho a Setembro Sopas, saladas, legumes Anis (Pimpinella anisum) Fruto maduro Agosto a Outubro Pão, pastelaria, legumes, pepinos, molhos Asperula (Asperula odorata) Folhas, antes da floração, frescas e secas Agosto a Outubro Pão, pastelaria, legumes, pepinos, molhos Borragem (Borrago officinalis) Folhas e flores frescas Maio a Outubro Pepinos, molhos, vegetais crus, saladas Canela (Cinnamomum ceylandicum) Casca Agosto a Outubro Pratos de arros, sobremesas de leite,.

Açafrão

Açafrão

A origem do açafrão (Crocus sativus) tem de se procurar no Oriente. Pertence à família das Iridáceas. O açafrão é pouco cultivado em Portugal. O que farmacêuticamente se conhece por açafrão (Crocus) são os estigmas secos e vermelhos que pendem em todo o seu comprimento das flores. Para um quilo de açafrão são necessárias 100 000 flores. Por isso o seu preço é muito elevado e falsifica-se com frequência. Composição e aplicações As matérias activas até hoje conhecidas são a crocina, a picroína, que dá origem a um óleo essencial, e ainda o caroteno, o licopeno e ricos hidrocarboretos alifáticos (segundo Madaus). O açafrão mostra claros efeitos sobre a matriz..

Loureiro

Loureiro

O autêntico loureiro (Laurus nobilis) encontra-se actualmente espalhado por todos os países do sul da Europa, onde adquiriu grande importância económica. Os ramos e as folhas empregam-se desde a mais remota antiguidade como símbolo de honra. O loureiro forma arbustos ou árvores que podem chegar a atingir 10 metros de altura. Composição e propriedades As folhas aromáticas contem na maior parte dos casos 1 % de óleos essenciais, substâncias aromáticas e 5 %, no máximo, de cinzas. Costumam empregar-se secas como condimento. Uma chávena de infusão feita na base de 5 g de folhas secas em lá litro de água emprega-se como remédio nas dores de estômago e nos vómitos..