Nêsperas

Nêsperas 300x300 - Nêsperas

Estes frutos têm um sabor bastante áspero. Contêm no seu interior cinco caroços e no estado silvestre são práticamente incomestíveis. Quando, porém, são submetidos a temperaturas baixas ou permanecem durante várias semanas conservados em palha, tomam uma consistência pastosa e adquirem o cheiro característico da fruta e um sabor entre doce e ácido. Por causa do seu elevado conteúdo de pectina não se pode obter o sumo de modo que interesse.

A nespereira pode melhorar-se como árvore frutífera mediante enxertos em pereiras, macieira (Pirits), marmeleiro (Cydonia) ou espinheiro branco (Crataegus). As variedades cultivadas são as de fruto grande e conforme a forma chamam-se nêspera-pêra ou nêspera-maçã.

Regulador das funções intestinais

As propriedades dietéticas das nesperas já de há muito tempo que são utilizadas. Actuam como diuréticos e exercem nos catarros intestinais acção enérgica anti-inflamatória, donde provém a sua influência reguladora intestinal.

Estas acções são devidas às substâncias que entram na sua composição, que ainda não são completamente conhecidas. A polpa da nêspera contém 0,35% de proteínas; nada de gorduras; 11,5% de hidrocarbonatos (dos quais 9,5 são açúcares); 75% de água; 13,2% de celulose; 56 calorias; 0,44 % de cinzas. Também contém pectina e tanino; ácidos cítrico, málico, tartárico e uma pequena quantidade de ácido bórico. As sementes contêm 2,5 %, de óleos gordos.

O conteúdo em tanino e pectina justifica o seu efeito anti-diarreico e regulador do intestino, assim como a sua acção adstringente e tonificadora da mucosa intestinal.
Recomenda-se o seguinte processo para uma cura com esta fruta, nos casos indicados: 1000g de nesperas, 800 g de açúcar e 500 g de água tudo a cozer, durante 45 minutos, conservando-se depois em lugar fresco. Tomar durante várias semanas em jejum 20 cm3 deste sumo.

Comentários