As lentilhas (Lens esculenta L.) são originárias da região mediterrânica. No Oriente cultivavam-se já nos mais remotos tempos. Formam matas anuais, que produzem frutos em vagem (leguminosas).
As lentilhas podem ser utilizadas para preparar guisados, saladas, empadões ou sopas, manjares que não só são relativamente baratos, mas que também são muito bem aceitos.
O puré de lentilhas e o puré de ervilhas são a parte fundamental de muitos pratos de sopa.

Composição e propriedades

As lentilhas são também de bastante interesse sob o ponto de vista dietético. Contêm, como as ervilhas secas ou o feijão branco, uma elevada quantidade de ferro (lentilhas, 9 mg %; ervilhas 6 mg %; feijão branco 10 mg %), cobre (0,7 %), fósforo (1200 mg % de anidrido fosfórico em 100 g), cálcio (100 mg %). O seu valor nutritivo é muito alto, devido ao conteúdo de proteína de 22 g % e de 50 g % de hidratos de carbono. Especial menção merece também o conteúdo em vitamina B1 (500 gammas em 100 g), em vitamina B2 (320 gammas em 100 g) e lecitina. Também estão presentes a vitamina A (175 U. I. em 100 g), o ácido nicotínico (3 mg em 100 g) e a vitamina E.
O ferro é um elemento vital, pois é o principal componente da hemoglobina e de diversos fermentos (fermentos respiratórios, catalases, oxidases), que participam nos processos de respiração celular (processos de oxidação).
Quando o corpo humano é pobre em magnésio — o que pode ser averiguado medindo o conteúdo em magnésio do plasma sanguíneo, cujo nível nunca deve baixar de 2,2 a 1 mg % — a concentração de colesterinas e produtos da degradação das proteínas como substâncias obrigatórias na urina encontra-se elevada.
O metabolismo do cálcio encontra-se em estreita correlação com o magnésio. Uma alimentação com alto teor em cálcio eleva também as necessidades em magnésio; por outro lado, um consumo elevado de magnésio aumenta a eliminação de cálcio.
As necessidades de ácido fosfórico são geralmente cobertas se a alimentação contiver cálcio suficiente. O ácido fosfórico é necessário para a estruturação dos ossos, sendo além disso um factor fundamental para a manutenção correcta do equilíbrio ácido-básico, intervém no metabolismo dos hidratos de carbono e faz parte ainda de numerosas proteínas do corpo.
A administração suficiente de fósforo assegura a capacidade de trabalho da musculatura corporal.
Sobre o papel das vitaminas do grupo B no metabolismo e para os nervos não é necessário insistir neste lugar.

Emprego das lentilhas na alimentação

Desta curta exposição da composição das lentilhas pode concluir-se que devem ter um lugar proeminente na alimentação das pessoas delicadas, subdesenvolvidas, nervosas, anémicas e desnutridas. Contudo, como o teor proteínico das lentilhas não é completo e, por outro lado, não são facilmente digeríveis, devem complementar-se com muitas batatas, legumes e saladas. A água da cocção das lentilhas pode utilizar-se como bebida para ajudar o tratamento das parasitoses por vermes intestinais.
As lentilhas não escurecem por cocção se forem acompanhadas de algumas batatas descascadas, que se deixam esfriar em conjunto.
As lentilhas, como outros frutos de vagens, devem ser conservadas em sítios frescos. Misturadas com duas colheres sopeiras de sal podem ser conservadas sem que sejam atacadas por nenhuma afecção (gorgulhos).

Comentários