Alface

Alface

A alface (Lactuca sativa) em todas as suas formas de cultivo pertence à família das Compostas. Emprego como sedativo nervoso A alface tem fama de actuar como sedativo dos nervos e preparar um sono tranquilo. Esta antiquíssima observação torna-se-nos hoje bastante compreensível, pois a análise química dá-nos um elemento activo, semelhante ao ópio, e que portanto actua como sedativo, somnífero e redutor da tosse; além disso, tem efeito sobre as convulsões devido ao seu teor em pequena quantidade de hiosciamina, também já comprovado. A enorme multidão de pessoas superexcitadas e, por conseguinte, também de insones, deviam nem que fosse só por este motivo, incluir obrigatoriamente na refeição da noite a.

Ervilhas

Ervilhas

A ervilha cultivada (Pisum sativum) procede, ao que parece, da silvestre {Pisum arvense). As ervilhas doces constituem com as suas vagens tenras e verdes um excelente alimento para doentes. Como ervilha de semeadura prefere-se a madura e amarela que se pode empregar na obtenção de sopas, legumes ou farinhas nutritivas. Composição e propriedades Do seguinte quadro pode deduzir-se a grande diferença quanto ao valor alimentar entre as ervilhas frescas, tenras e verdes e as maduras, secas e amarelas: 100g contém Proteínas Gordura Hidrocarbonatos Água calorias Ervilhas frescas, tenras e verdes 6,6 g 0,5 g 12,7 g 17,7 g 83 Ervilhas maduras, secas e amarelas 23,4 g 1,9 g 47,3 g.

Chicória

Chicória

Uma variedade de cultivo da chicória é a branca. É a «Cichorium Intybus L.», frequente no Centro e Sul de Portugal, em campos secos e cultivados, conhecida pelo nome de chicória amarga. É muito amarga, de modo que o mais pertinente é cortar e esvaziar a extremidade do talo, pois é ali que se acumulam principalmente os componentes amargos. É claro que isto só se faz quando se quer prescindir de tais matérias amargas, que são precisamente as que excitam o apetite e aumentam a secreção biliar. A indicação frequente de lavar os talos e tirar-lhes o sabor amargo com água quente pode fazer com que o amargor se torne.

Dente de Leão

Dente de Leão

O conhecido e para nós valiosíssimo dente de leão (Taraxacum officinale), da família das Compostas, é muito comum em Portugal, em lugares húmidos, prados, etc. Desde a Primavera ate ao Verão já adiantado, podem colher-se as folhas, urna a uma, depositando as em cestos. Há que evitar qualquer pressão nas folhas. Estendem-se o mais depressa possível, formando camadas finas, em lugares à sombra para secarem. As raízes são desenterradas na Primavera e no Outono, separando-se das folhas e das radículas ainda existentes; lavam-se cuidadosamente e deixam-se secar depois no chão durante dez ou doze dias. Para as secar depois por completo, aplica se-lhes calor artificial. Depois da seca, a folha.

Agrião

Agrião

O agrião comum ou de poço (Nasturtium officinale) pertence à família das Crucíferas. Frequente nas fontes, regatos, solos encharcados, cresce espontaneamente, mas é cultivado nalguns locais. Pode confundir-se com o Sium Latifolium. umbelífera tóxica que também se dá nos cursos de água. Colhem-se-lhe as folhas de Fevereiro até o Outono. As folhas recolhidas antes da floração empregam-se cruas para saladas. Secos, os agriões têm um sabor indefinido. Composição e propriedades Os elementos activos até hoje conhecidos são: óleo essencial com teor de enxofre, vitaminas A, B, C e E, iodo, nitrato, um glicósido de óleo de mostarda (a gliconasturina que, decompondo-se, produz, entre outros elementos, um óleo essencial com óleo.