Tomates

Tomates

O conhecido tomate (Solanum lycopersicum) pertence à família das Solanáceas. Procede do Peru. O número de variedades desta solanácca que se encontra em Portugal é muito grande, de acordo com a intensidade com que é cultivado. As mais importantes são: a corrente, de tamanho médio (5 a 10 cm), comprimidos pelos planos superior e inferior; o redondo, bastante pequeno (2-3 cm) de polpa muito apertada; o oblongo, piriforme; o monstro, notável pelo tamanho que pode chegar a pesar um quilo e que tem uma rodela cinzenta em torno do pedúnculo. Descobriu-se, recentemente, nos talos e folhas de todas as plantas de tomate uma substância antifúngica, a «tomatina», que não só.

Abóboras

Abóboras

Procedente da América tropical, chegou a abóbora (Cucurbita pepo) no século XVI, via Itália, sendo hoje muito apreciada. Emprego como vermífugo Não podemos esquecer que a abóbora figura com insistência nos escritos de Hipócrates. A partir de então encontra-se recomendada em todos os antigos e modernos herbolários como um bom meio diurético, e as suas pevides como excelente vermífugo. As pevides maduras (verdadeiras sementes) contêm uma substância, ainda não conhecida, que diminui a capacidade de adesão da cabeça da ténia. Como excelente meio de expulsão de «solitárias», empregam-se as pevides de abóbora do seguinte modo: 1) Depois de uma dieta absoluta num mínimo de doze horas, as crianças devem consumir.

Pepino

Pepino

O pepino (Cucumis sativus), como a abóbora, pertence à família das Cucurbiláceas. Composição A ideia bastante espalhada de que o pepino carece de valor nutritivo é equivocada. Não se pode, decerto, classificar o pepino de «nutritivo» no sentido vulgar, pois é muito pobre nos chamados elementos de massa: proteína, gordura e fécula. Consiste principalmente de água, mas pode provar-se a presença nela e em dissolução de vitaminas e minerais, tão importantes numa alimentação completa, como os factores de massa. Com razão se tem popularizado o pepino como alimento em muitas preparações. Os pepinos exercem três efeitos característicos no organismo humano: o diurético, o laxante e o depurativo, que participam proporcionalmente.

Melão

Melão

Muito próximo do pepino, o melão (Cucumis melo) procede das zonas tropicais da Ásia e da África, e pertence à família das Cucurbitáceas. Os melões apresentam-se nos países quentes em grandes quantidades de formas e de variedades. Composição, propriedades e usos A composição nutritiva dos melões é a seguinte: proteínas, 0,7-1 %; gorduras, 0,25-0,33 %; hidratos de carbono, 2-6 %; água 90 %. Nesta última fracção encontram-se 8 mg % de sódio, 75 mg % de potássio, 11 mg % de cálcio, 3 mg % de magnésio e 1 mg % de ferro. Entre as vitaminas é de interesse o teor em vitamina A, com 600 U. I. em 100.

Grão-De-Bico

Grão-De-Bico

O grão-de-bico (Cicer arietinun L.) procede, provavelmente, da região oriental da bacia mediterrânica. Presentemente, é uma planta que se encontra largamente cultivada em todos os países mediterrânicos. Ainda não se conhece a data do início da sua cultura. Os primeiros dados seguros encontram-se em Teofrasto e Dioscórides. Hoje, pouco se cultiva esta leguminosa na Europa Central, mas o seu emprego está muito espalhado no Sul da Europa. Todas as partes da planta estão recobertas por uma curta e recta velosidade glandular que produz uma secreção viscosa que contém ácidos málico, acético e oxálico. Composição e propriedades As sementes, os denominados grãos-de-bico, conhecem-se facilmente pela sua forma. 100 grãos pesam cerca.