Couves

Couves

A couve (Brassica) pertence à numerosíssima família das Crucíferas (umas 1900 espécies), que compreende quase sem excepção todas as verduras. Contém numerosos óleos consistentes e enxofrados que estimulam o apetite e reforçam assecreções das glândulas, especialmente no tubo gastrintestinal. Esta planta está largamente representada em Portugal. As formas de cultivo mais comuns são a couve portuguesa, a couve galega, a couve lombarda, a couve crespa ou de Sabóia, a couve de Bruxelas, a couve-rábano, a couve-flor, o repolho, os bróculos, os nabos e as nabiças. Composição e propriedades Até hoje, infelizmente, não nos podem dizer muita coisa os químicos a este respeito. Conhece-se, porém, o conteúdo das diferentes variedades de.

Alho-Porro

Alho-Porro

O alho-porro (Allium porrum) é cultivado largamente em toda a Península Hispânica. O pequena bolbo, de escassa reprodução, dispõe de um grande número de raízes fibrosas e brancas, sem ramificações na terra. Folhas grandes, lineares e de nervuras longitudinais rodeiam os bolbos que ficam enterrados no chão. A partir de Junho extraem-se do solo os bolbos com folhas e talos. Para o Inverno, colocam-se as plantas em lugar protegido, ao ar livre ou no sótão. Como a planta se tem de manter fresca para o seu consumo imediato, não é recomendável a dessecação. Composição e propriedades A matéria activa principal é um óleo enxofrado o essencial (óleo de alho) que,.

Espargos

Espargos

Sob o ponto de vista da Botânica, o espargo (Asparagus officinalis), da família das Liliáceas, é um talo de cerca de um melro de altura, que se mantém no Inverno e tem uma raiz lenhosa. Os que se compram na Primavera, por bom preço, não são mais do que os rebentos recentes de um talo de numerosos rebentos, cujo desenvolvimento inicial exige uns três anos. Composição e propriedades Tão antiga como o cultivo do espargo é a observação dos efeitos diuréticos dos renovos das raízes e daí o seu significado terapêutico. Este conhecimento tem-se mantido em todos os tempos, embora presentemente desempenhe um papel na dieta que não está limitado.

Ruibarbo

Ruibarbo

Por ruibarbo (Rheum Officinale) entende-se geralmente a raiz seca e pelada de algumas variedades do género «Rheum» oriundo da China e do Tibete. Além do ruibarbo comum, também se cultivam entre nós outras espécies de Rheum, todas elas exóticas e com as mesmas aplicações, como o “Rheum palmatum”, ruibarbo palmeado ou ruibarbo da Rússia. Da forte cepa nasce e cresce rapidamente na Primavera um renovo que chega a dois metros de altura, com as conhecidas folhas largas em forma de coração, os talos ocos e as coroas de flores em forma de cachos. O emprego do ruibarbo para uma depuração na Primavera é a fórmula mais comoda e simples para.

Espinafres

Espinafres

O espinafre (Spinacia oleracea) é uma Quenopodiácea, que provavelmente procede do Oriente. Cultivam-se na Península Ibérica, em grande quantidade, o espinafre comum ou de Inverno (Spinacia oleracea), e o espinafre da Holanda ou de Verão (Spinacia glabra) com propriedades semelhantes. Composição e propriedades Como em todas as hortaliças de folhas, o espinafre não possui um conteúdo extraordinário de substâncias nutritivas. Em 100 g de espinafre figuram 93 g de água, 23 g de proteínas, 0,3 g de gordura, e 1,8 g de hidrocarbonatos, e apenas umas 20 calorias. É, porém, importante o seu rico conteúdo de vitaminas, valiosos minerais em forma de sais, clorofila, oligoelementos e fermentos. Do que vamos.