A groselheira vermelha (Ribes rubrum) é irmã da negra. Espontânea nos matos, encontra-se nas montanhas e apresenta-se com vários nomes.

Composição

Os médicos medievais apreciavam a groselha, tanto a vermelha como a negra, em todas as doenças agudas dos órgãos digestivos. Isto compreende-se pela sua composição: elevado conteúdo de água (87,4 %), albumina escassa (0,88%), poucos hidratos de carbono (8,5%), poucas matérias minerais (0,63 %) e reduzido número de calorias (46). Pelo contrário, abundante conteúdo de ácidos de fruta (2,5 % de ácidos tartárico, cítrico e malónico), vitamina C (155 mg em 100g) e vitamina B1 (0,08 mg em 100 g).


Emprego como planta medicinal

A groselha vermelha em sumo actua como bebida refrescante, aperitivo e excitante para as secreções glandulares de todas as vias gastrintestinais e para o funcionamento do intestino grosso. O emprego do sumo é recomendado para os doentes com febre e para as doenças agudas de estômago, intestino e fígado, eventualmente misturado com o sumo da groselha
negra.

Emprego como alimento

Não é preciso indicar as muitas e conhecidas aplicações da groselha vermelha no lar, como fruta fresca, recheio de pastéis, compota, geleia, marmelada, sumo, mistura com gelados e nata e, finalmente, para a preparação de vinho de fruta (sem álcool) muito apropriado para convalescentes e doentes.

Comentários