A importância dos frutos secos

A importância dos frutos secos

Embora, desde há séculos se considerem os cereais como os alimentos vegetais mais importantes e influam por isso consideravelmente na nossa alimentação, há que recordar que anteriormente predominava a alimentação com frutos de árvores e que as nozes e as castanhas também desempenhavam um papel importante. Se são as gramíneas ou as árvores que proporcionam uma nutrição mais valiosa, é coisa que ainda hoje se não pode decidir sob o ponto de vista científico. Os frutos das árvores e entre todos eles os de tipo da noz exercem em todo o caso uma importante função na cozinha vegetariana. São, portanto, muito necessários, uma vez que com os legumes secos constituem.

Calendário de frutos de baga

Calendário de frutos de baga

Nome comum Nome latino Meses de colheita Possibilidades de aproveitamento Abrunhos Prunus Spinosa Julho a Outubro Sumo, produz boa geleia. Conserva (agridoce) Amoreira Rubus Fructicosus Junho a Outubro Consumo em cru, sumo, refrescos, sopa fria, compota, marmelada, geleia doce, conserva. Folhas em infusão. Arandos Vaccinium myrtillus Junho a Setembro Consumo em cru, sumo, bebidas, sopa, compota, marmelada, doce, conservas, pastelaria. Arandos Encarnados Vaccinium vitis idaea Julho a Outubro Consumo em cru, sumo, refrescos, sopa, compota, marmelada, geleia, doce, pastelaria, conserva. Berberis Berberis vulgaris Agosto a Outubro Compota, sumo, xarope, marmelada, geleia, conserva, substituto de sumo de limão difíceis de converter em geleia. Espinheiro Amarelo Hipporphae Rhamnoides Maio a Outubro Sumo,.

Juncinha mansa

Juncinha mansa

Uma planta alimentar de grande interesse é a juncinha mansa (Cyperus esculentus), tubérculo de uma ciperácea, que em Portugal também é conhecida por junça de comer, juncinha avelanada e chufa. Embora botânicamente não possa figurar entre os frutos de noz, temos de a incluir aqui por causa da sua semelhante aplicação. Este tubérculo constitui, como a soja, uma rara concentração de alimentos. Composição e propriedades Além de ser uma planta herbácea, dá vida a numerosos tubérculos de grande riqueza nutritiva, cuja análise sobre matéria seca dá os seguintes valores: gordura, 20-24 %; proteína bruta 3-6,5 %; fibra bruta, 15.23 %; féculas, 2-3%; vitaminas (especialmente H e P) e numerosas enzimas..

Amêndoas

Amêndoas

Toda a gente conhece o fruto da amêndoa encerrado num caroço, que por sua vez está recoberto de uma pele coriácea e abundantemente pelosa. A amêndoa (Amygdalus communis) é uma árvore parecida com a do pêssego, pertencente à família das Rosáceas, que apresenta a particularidade de florir antes do aparecimento das folhas. No mercado encontram-se diversas classes e variedades de amêndoas: espanholas, italianas, berberes (do Norte da Africa) e alemãs. O seu uso na confeitaria e na pastelaria é considerável, por causa do seu delicado gosto. Tem também importância na alimentação e na medicina, embora se deva ter em conta que temos de eliminar as amêndoas amargas, pelo seu conteúdo.

Roseira Silvestre

Roseira Silvestre

Pertence a conhecidíssima rosa silvestre (Rosa canina) à família das Rosáceas. A sua popularidade fica demonstrada pelas numerosas designações que apresenta. Tem muitas variedades, com as mesma aplicações, conhecidas com diversos nomes, conforme as regiões. A roseira silvestre ou roseira-brava forma arbustos lenhosos com grandes ramos, defendidos com espinhos torcidos em forma de anzol. É no Outono que se colhem os seus frutos. É preciso cuiiado para não se apanharem arranhões tanto nas mãos, como nos braços e na roupa. Limpam-se dos restos dos talos e das flores. Se não se consumirem frescos, devem ser estendidos numa só camada para secar. Quando estiverem secos, passada uma semana, acabam-se de secar.