A framboesa é conhecida em toda a parte (Rubus idaeus), tendo vários nomes. Os frutos,
de excelente sabor, consistem em bagas pequenas de tonalidade amarela, vermelha e esbranquiçada.

Durante o Verão, colhem-se as folhas com os seus talos e guardam-se em cestos, deitando
fora os descorados.
A partir de Junho, colhem-se as bagas, uma a uma. Separam-se com grande facilidade do receptáculo, quando estão maduras. O melhor é depositá-las numa cuba para não se
esmagarem.

O cultivo das framboesas merece a pena, porque o arbusto exige poucos cuidados e pouca atenção. As variedades cultivadas dão mais fruto e este dá mais sumo que as silvestres.

A framboesa reproduz-se por estaca. Os rizomas plantam-se em filas à distância de dois metros em estacas. No Outono cortam-se os antigos rebentos e deixam-se os novos, que frutificam no ano seguinte, sem os despontar.

Composição

Nas folhas há ácido tânico, ácido láctico, ácido succínico e ácidos não saturados, e nos frutos há a pectina, glicose e ácidos de fruta. Das sementes de framboesa isoladas e secas ao ar obtém-se 13,5 % de um óleo pouco espesso e de cor verde amarelada, cujo cheiro recorda o ácido linoleico e cuja capacidade de secar é muito parecida com a deste último. Os ácidos gordos muito líquidos são compostos príncipalmente de ácido linólico e linoleico. Os ácidos oleico e isolinoleico só se apresentam em quantidades reduzidas.

Modo de acção e aplicações terapêuticas

Como as folhas contêm tanino, possuem, tais como as das amoreiras, um efeito antidiarreico e anti-inflamatório. O emprego é o mesmo que o das folhas das amoreiras. Uma mistura de folhas de framboesas e de amoreiras dá bons resultados nos catarros, nas irritações e inflamações das vias gastrintestinais, nas diarreias e catarros inflamatórios do intestino grosso e nas hemorragias por hemorróidas. Nas inflamações das gengivas e de garganta, a infusão das folhas de framboesa pode utilizar-se para enxaguaduras calmantes.

As framboesas, sob o ponto de vista curativo, excitam, pelo seu conteúdo em frutose, ácidos de frutas e componentes fixos, o peristaltismo intestinal e limpam os tecidos de um excesso de ácidos pela sua grande riqueza em bases. Uma cura de framboesas é útil contra a prisão de ventre, o reumatismo e outras doenças metabólicas, e sobretudo contra as doenças do fígado, dos rins e hemorróidas. Além disso, como a framboesa apresenta um conteúdo abundante de vitaminas, preparada em sumo, compota, marmelada e geleia, é um meio conveniente para evitar ou equilibrar os casos de insuficiência de vitaminas, durante as estações do Inverno e da Primavera.

O sumo de framboesas serve como meio para melhorar o sabor dos preparados farmacêuticos. O refresco de framboesas, mediante a diluição do sumo em água, é uma bebida apropriada para os doentes com febre, pois tira a sede e ajuda a curar.

Emprego como alimento

A framboesa emprega-se com gosto na cozinha para muitos fins. Recomenda-se como alimento cru. Tem muito consumo em pastelaria.

Comentários