Tratamento da insónia

Tratamento da insónia

A insônia é apenas um sintoma e não uma doença. Se pudéssemos tratar a insônia com autêntico somnifero faríamos desaparecer um sintoma, mas não atacaríamos a doença na sua raiz. Embora não dispúnhamos desse autêntico somnífero, abusa-se monstruosamente dos chamados soporíferos químicos, que antes deviam chamar-se hipnóticos ou narcóticos e que, em parte, são de venda livre. Não menosprezamos produtos realmente valiosos da química sintética e que, nas mãos do médico, podem prestar, em certos casos, serviços consideráveis. Mas é preciso denunciar claramente o consumo sem entraves de qualquer soporífero perante o menor indício de insônia. Quando esta é autêntica, a descoberta da sua causa e o método da sua.

Alimentos utilizados no regime

Alimentos utilizados no regime

Segundo a prescrição do nutricionista são permitidos os seguintes alimentos: fruta crua, raízes cruas, leite cru, manteiga, flocos de aveia crus, pão integral, ovos crus e mel. Entre a fruta figuram: maçãs, peras, ameixas, avelãs, nozes, sementes de girassol, feijão verde tenro, cerejas, uvas, pêssegos, uva, groselha, framboesas, amora, laranjas, bananas, amêndoas, castanhas americanas, flocos, amendoins, tomates, cerais (grãos de trigo e de centeio germinados) e frutos secos (tâmaras, figos, passas de corinto e de Málaga). Entre as raízes contam-se, principalmente, as cenouras e o nabo. Depois de haver observado durante dez anos o efeito deste regime em mais de 2500 doentes, julga o nutricionista (cujos doentes foram cuidadosamente observados.

O sono é o melhor alimento para os nervos

O sono é o melhor alimento para os nervos

Desde os tempos mais remotos que a humanidade conhece o enorme benefício de um sono reparador e, desde aquelas longínquas eras, os médicos se têm preocupado, no decorrer dos séculos, no sentido de que os seus doentes desfrutem desse benefício, pois constitui uma premissa iniludível para a sua saúde. Por isso, não pode ser motivo de surpresa o facto de os soporíferos constituírem um elemento essencial da farmacopeia médica, assim como da medicina popular, em muito diversas formas. Mas precisamente a diversidade de remédios de tantos reclames deve causar-nos reparos. De facto, quando maior for a abundância de remédios, em maior grau surge a suspeita de que nenhum deles é.