Sono natural e narcose

Sono natural e narcose

Em princípio, os únicos meios seguros para fazer dormir os pacientes foram o ópio e, um pouco mais tarde, a morfina, extraída daquele. Por isso se considerou um valioso enriquecimento da farmacopeia a descoberta, em 1869, do hidrato de cloral, que permitia ao medico prescindir em muitos casos da morfina, que implicava o perigo nada despiciendo de provocar a habituação. A imensa maioria dos soníferos deriva de um reduzido número de combinações químicas que provocam o complexo efeito narcótico, ou seja, que o seu principal resultado é a paralisação do cérebro com perda do conhecimento. A seguir, tem lugar a paralisação das regiões mais profundas do cérebro. E esse desaparecimento.

O regime para doentes nervosos (especialmente na esclerose múltipla)

O regime para doentes nervosos (especialmente na esclerose múltipla)

Numerosas descobertas e observações inspiraram ao nutricionista a ideia de que uma doença grave nervosa, a esclerose múltipla, que começa com deformações inflamatórias na medula e no cérebro, seguidas de uma degenerescência do tecido nervoso, é apenas o último termo de alimentação defeituosa durante anos, como a que forçosamente traz consigo a desnaturalização dos alimentos. Apresenta, portanto, um regime curativo, no qual se suprime na medida do possível toda a desnaturalização; deste modo têm-se conseguido êxitos evidentes em casos leves ou poucos graves de esclerose múltipla, debatidos apaixonadamente nos Congressos Médicos e discutidos também noutras Clínicas. Apesar de intensos trabalhos de investigação em todos os países civilizados, a verdade porem.

Reconstituintes naturais param a fraqueza do sistema nervoso

Reconstituintes naturais param a fraqueza do sistema nervoso

Ao chegarmos aqui, há que insistir, mais uma vez, nas especiais propriedades dietéticas da levedura, do leite e do mel para todas as pessoas que sofrem de debilidade ou doenças do sistema nervoso. Muitos destes doentes têm comprovado a capacidade curativa destes alimentos simples e naturais, quando, impondo-se também uma vontade firme e decidida , tomaram diariamente meio litro de leite, algumas colheres pequenas de levedura seca e de mel misturadas, durante algum tempo ou com carácter permanente, em vez dos excitantes ou drogas consumidos em quantidade excessiva. As características especiais destes alimentos já foram enunciadas na primeira parte deste livro. As correspondentes formas de preparação encontram-se nas receitas 7,.

A alimentação no tratamento e profilaxia da paralisia infantil

A alimentação no tratamento e profilaxia da paralisia infantil

No tratamento da paralisia infantil (poliomielite), conforme as experiências obtidas durante os últimos anos, volta-se a dar grande importância à alimentação. Em todas as doenças infecciosas produz-se durante a fase aguda um maior consumo de proteínas, gorduras, vitaminas e fermentos. Isto exige também a paralisia infantil, expressando-se tal facto com a perda considerável de peso durante as primeiras três a seis semanas. A perda de substância orgânica é de grande importância para a capacidade defensiva nesta grave doença. As substâncias defensivas estão geralmente unidas com um núcleo proteínico e devem estar representadas na alimentação diária. Verifica-se realmente nos três primeiros dias nos doentes de paralisia infantil um crescente aumento de.

O gérmen de trigo remédio para os nervos

O gérmen de trigo remédio para os nervos

Os gérmen de trigo, além das tantas vezes repetidas vitaminas e minerais, contém um grupo de matérias que o nutricionista localizou e que chamou auxonas. São o material para o crescimento, multiplicação celular e regeneração nos organismos animais, que hoje despertam grande interesse. Se as auxonas faltarem, fica muito afetado o metabolismo. Se também faltar a vitamina B1 o metabolismo cessa absolutamente. As consequências serão a velhice prematura e a morte. Se, faltando as auxonas, persistir o consumo de vitamina B1, chega-se à descalcificação, à vida vegetativa ou à meso trofia (seminutrição), como tecnicamente é expressada. A presença deste material em quantidade suficiente leva, por outro lado, a uma convalescença.