Natureza da doença

Natureza da doença

Em termos gerais, a diabetes é uma doença do metabolismo, na qual o organismo não está em condições de assimilar o açúcar da alimentação. No intestino transformam-se em glicose todas as espécies de féculas ingeridas com os alimentos. A glicose procedente do intestino já não se transforma no fígado nem nos músculos dos diabéticos em forma de glicogênio, mas é simplesmente eliminada pela urina. A presença de glicose na urina é o sintoma característico da dita doença. Normalmente, o fígado acumula a glicose ingerida transformando a glicogênio, que, por sua vez, segundo as necessidades do organismo, e por estímulo da adrenalina, é decomposto de novo em glicose, sendo então queimada.

Outros remédios para a diabetes

Outros remédios para a diabetes

As vitaminas presentes nos germes de trigo e na levedura, sobretudo os factores do grupo B e a vitamina E, constituem matérias ativas essenciais no metabolismo do açúcar para as células. Desempenham, portanto, no regime diabético um papel infinitamente mais importante que os medicamentos. Três a cinco colheres grandes de germes de trigo ou 15 a 20 g de levedura na alimentação diária favorecem poderosamente a ação da insulina. O emprego destes meios dietéticos, assim como o consumo de pão germinal de trigo, permite muitas vezes a redução da dose de insulina ou um consumo maior de hidrocarbonatos (pão. balatas, frutas). Como o tratamento muscular influi consideravelmente no metabolismo do.

É imprescindível o regime individual

É imprescindível o regime individual

Do complicado curso da doença e da diversidade das suas manifestações deduz-se que não se pode aconselhar um tratamento uniforme e sistemático, mas que tem de ser estudado cuidadosamente pelo médico para cada caso. Isto diz respeito especialmente ao regime, que deve, o mais das vezes, ser variado, mantendo-se sempre o propósito de reduzir ao máximo o consumo de hidrocarbanatos. Para isso são de recomendar dias de salada, frutas e legumes, dias de legumes e ovo, dias de aveia, fruta e arroz, dias de soro de manteiga, dias de leite integral, dias de jejum e dias de batata. As mudanças destes dias de regime, assim como a ordem para as.

Correlações hormonais

Apresenta-se assim a reação em cadeia do funcionamento insuficiente do pâncreas e da consequente falta absoluta ou relativa de insulina. Há também infelizmente outras causas da diabetes. Só o facto da deficiência funcional do pâncreas permite supor que nisso tomam parte outras glândulas de secreção interna que, quanto ás suas funções, dependem umas das outras, ou seja, que cada qual influi na atividade das outras. Sabemos hoje que a pituitária {hipófise) com a hormona que produz, ultimamente descoberta, ACTH (hormona adreno- corticotropa), estimula consideravelmente as supra-renais. Estas, por sua vez. segregam hormonas que denominamos glicocorticóides e que influem no metabolismo do açúcar. Mas também a tiroide e as glândulas sexuais.

Papel da insulina na diabetes

Papel da insulina na diabetes

O que ficou dito sobre a natureza desta doença deve bastar para fazer ver claramente que a presença de glicose na urina não é o fundamental. As cifras de glicose eliminada são de pouca importância, desde que não se conheça a quantidade global de glicose eliminada em vinte e quatro horas. Não é possível cessar a eliminação mesmo mediante a privação de todos os alimentos com teor de glicose. Assim só se tem feito desaparecer temporariamente um dos sintomas, mas não se produziu qualquer melhoria na própria doença. Segundo o nutricionista, a limitação de hidrocarbonatos na nutrição equivale a «jogar às escondidas com a eliminação da glicose». A glicose desaparece.