Dente de Leão

dente leao - Dente de Leão

O conhecido e para nós valiosíssimo dente de leão (Taraxacum officinale), da família das Compostas, é muito comum em Portugal, em lugares húmidos, prados, etc.
Desde a Primavera ate ao Verão já adiantado, podem colher-se as folhas, urna a uma, depositando as em cestos. Há que evitar qualquer pressão nas folhas. Estendem-se o mais depressa possível, formando camadas finas, em lugares à sombra para secarem.
As raízes são desenterradas na Primavera e no Outono, separando-se das folhas e das radículas ainda existentes; lavam-se cuidadosamente e deixam-se secar depois no chão durante dez ou doze dias. Para as secar depois por completo, aplica se-lhes calor artificial. Depois da seca, a folha fica quebradiça e rangente.
As raízes colhidas no Outono produzem um extracto doce com grande teor de açúcar, ao passo que as que são colhidas na Primavera contêm mais elementos amargos e mais sal. Tanto as folhas como as raízes guardam-se em sacos. Devem controlar-se semanalmente.

Composição e propriedades

Os componentes activos, conhecidos ate agora, são: 0,5 % de tara, xina (um elemento amargo), 40% de inulina, vitamina D, colina, ácido p-oxifenilacético, ácido dioxinámico, ácido tartárico, gordura, cera e na raiz um óleo essencial.

As numerosas matérias activas que pelo seu efeito se complementam e completam provocam:

1. Um estímulo da musculatura das vias gastrintestinais e das glândulas salivares, gástricas, intestinais, pâncreas e fígado. Produz-se assim uma maior secreção de saliva, bílis e suco gástrico, pancreático e intestinal. O importante e conseguir assim um melhor funcionamento do fígado e da vesícula.

2. Uma excitação das glândulas das vias respiratórias,
facilitando a expectoração de escarros.

3. Uma excitação dos rins que expulsam maior quantidade de líquido, produzindo uma descida da pressão arterial, quando o consumo é prolongado.

Emprego como planta medicinal

a) Doenças hepáticas, vesiculares, icterícia, hemorróidas,
catarros do estômago e dos intestinos, flatulências e
lombrigas.

b) Para depuração do sangue.

c) Para reconstituinte nos catarros bronquiais crónicos.

d) Para os transtornos circulatórios e renais, sobretudo
relacionados com a hipertensão.

O efeito principal é exercido indubitavelmente sobre o fígado e a vesícula e através deles sobre o metabolismo na sua totalidade. Por meio destes efeitos metabólicos gerais obtêm-se também resultados benéficos nos casos de gola, reumatismo, obesidade, esclerose, doenças do sangue e também, às vezes, da diabetes. O melhor nestes casos é empregar sumo fresco obtido por pressão da folhas e das raízes, tomando três vezes por dia uma colher grande durante um período de três a seis semanas. Se no Inverno se obtiverem folhas e raízes secas, misturam-se estas em partes iguais e prepara-se uma infusão com uma colherada da mistura num copo de água, bebendo um copo várias vezes por dia.

Emprego como salada

As folhas do dente de leão, nascidas na Primavera, constituem uma excelente salada pelo seu efeito estimulante sobre o apetite. Quem se habitua na Primavera, antes de aparecer no mercado a alface, a consumir várias vezes por semana salada de dente de leão ou de qualquer verdura silvestre misturada, não espera com interesse o aparecimento da alface, pois esta parecer-lhe-á insípida comparada com aquela. Continuará portanto com a salada dos dentes de leão, até que brotem as flores e o sabor se torne mais forte e amargo.
O emprego do dente de leão na forma de suco fresco e de salada é muito de recomendar para a «limpeza primaveril» do organismo e deve ser vulgarizado.
Quando se enterram as raízes em areia durante o Outono e se mantêm um pouco húmidas, haverá na Primavera uma salada um pouco pálida mas de sabor agradável, servindo também estas folhas para condimento de salada de batatas.
No Outono, desenterram-se as raízes, cortam-se em pequenas rodelas e preparam-se com salada de alhos-porros. Produz um grande efeito diurético. As raízes podem aproveitar-se também para sopas e outros
preparados de verduras. Obtém-se um substituto do café, cortando em cubos e torrando as raízes secas. A infusão não é desagradável.

Comentários