Canela

Canela

Com o nome de canela conhecem-se no comercio diferentes tipos de cascas que se empregam como condimento e se obtêm de diversos arbustos pertencentes à família das Lauráceas. A espécie melhor e mais utilizada é o Cinnamomum Ceylandicum, procedente de Ceilão, onde é abundantemente cultivado. Também é explorada noutros países como Java, Sumatra e a América do Sul. Das cascas dos ramos novos obtêm-se os delicados cilindros, pardo-avermelhados, utilizados no comércio. Caracterizam-se por um sabor fortemente aromático, algo picante e ao mesmo tempo doce. Composição Um óleo essencial que atinge proporções de 0,5 a 4 %. Também contém uma suave resina aromática, um corante que tem ferro e gomas. Aplicações.

Salsa

Salsa

A salsa (Petroselinum sativum) conta-se entre as Umbelíferas. Encontra-se cultivada e subespontânea em todo o Portugal. Há que distinguir entre a salsa frisada e a de condimento. Da primeira, fazem-se várias sementeiras seguidas no Verão. Para as necessidades do Inverno semeia-se à profundidade oportuna em carreiras, à distância entre si de 20 centímetros, entre os fins de Julho e Agosto. O corte frequente do talo das folhas, rente com o solo, aumenta a densidade da folhagem na planta. Consegue-se em grande quantidade quando se transplantam as raízes para sulcos especiais à distância de 30 centímetros. Composição e propriedades As sementes de salsa, de emprego sobretudo medicinal, contem um óleo com.

Estragão

Estragão

O estragão (Artemisia dracunculus) pertence à família das Compostas. É oriunda da Rússia Meridional e da Mongólia. Poucas vezes aparece no estado silvestre. Quando começa a floração corta-se a planta rente com a terra, ata-se em ramos e seca-se se não se utiliza fresca. Folhas isoladas podem cortar-se durante todo o ano. Deixam-se secar as folhas num lugar quente (uns 35º C), voltando-as com frequência. Retêm também a sua força como condimento durante muito tempo. Composição e aplicações Quanto a matérias vivas só se conhece como importante o seu teor de iodo. Nada de definitivo se pode dizer quanto ao seu modo de actuar, dado o desconhecimento existente a respeito.

Mostarda Negra

Mostarda Negra

A mostardeira negra (Brassica Migra) é da família das Crucíferas. Frequente nas searas, campos e caminhos do Minho, Estremadura e Alentejo. Em pequenas quantidades, cortam-se e atam-se em feixes os talos, a partir de Julho, depois de as bainhas adquirirem um tom amarelado; estendem-se em seguida num pano. Os grãos de cor pardacenta-amarclada caídos conservam-se secos em recipientes de vidro, devendo com frequência ser observados e agitados. A mostarda negra costuma cultivar-se também em terrenos pobres e climas duros; mas é melhor o solo arenoso que lenha húmus. A humidade do terreno encharcado é prejudicial. O esterco de cavalariça fresco afecta a formação do fruto, favorecendo o desenvolvimento da folhagem..

Anis

Anis

A família das Umbelíferas proporciona-nos o anis ou erva doce (Pimpinclla anisum), originária do Oriente, sendo cultivado e às vezes subespontâneo em Portugal. O anis figura entre os mais antigos medicamentos. Já Pitágoras louvava a sua influência. Nos estudos hipocráticos aparece tratado com frequência. Logo que os talos se tornam amarelos, cortam-se os cachos de flores, atam-se e dependuram-se ao ar para secar. Decorrido algum tempo, podem obter-se os frutos, sacudindo-os. O clima duro e húmido, assim como a zona costeira, não são lugares próprios para o seu cultivo. O melhor é cultivá-lo em solo de boa qualidade e predominantemente leve. Estrumar o campo, mas antes de se formarem os.