Esterilização

Esterilização

Mediante o processo de esterilização podem conservar-se verduras silvestres e sucos de ervas. As primeiras esterilizam-se exactamente como os espinafres e outras verduras. As ervas passam-se por um espremedor de sumos ou, no caso de se não dispor deste, passam-se várias vezes pela máquina de picar carne, filtrando o sumo através de um pano. É claro que é melhor e mais rápido com uma centrifugadora eléctrica. Uma vez clarificado o sumo pela filtração, enchem-se cuidadosamente garrafas e frascos que se fecham pela forma mais corrente, e esterilizam-se como os sucos de fruta (num mínimo de vinte minutos a 80°). Como nestes casos se trata de um sumo extremamente concentrado, só.

Endro

Endro

O endro (Anethum graveolens) pertence à família das Umbelífcras. Encontra-se cultivado e espontâneo em campos e vinhedos do Centro e Sul de Portugal. As plantas têm muita semelhança com o funcho. É possível o cultivo em toda a espécie de terrenos de horta, dada a falta de exigências desta planta para se desenvolver. A germinação apresenta-se na segunda ou terceira semana, com capacidade germinativa ate 80%. É melhor semear várias vezes sucessivamente a partir de Abril, para dispor sempre de folhas frescas de endro. O endro não suporta a transplantação. Pouco antes da floração, arranca-se toda a planta do solo e dependura-se para secar. Os frutos (sementes) colhem-se directamente das.

Conserva em mel

Conserva em mel

A conserva de frutas frescas em mel ou xarope de açúcar concentrado é um dos métodos de conserva mais antigos, mas mais saborosos. Deve fazer-se maior uso deste método simples e biologicamente perfeito para a conservação de bagas e de frutos de caroço.

Canela

Canela

Com o nome de canela conhecem-se no comercio diferentes tipos de cascas que se empregam como condimento e se obtêm de diversos arbustos pertencentes à família das Lauráceas. A espécie melhor e mais utilizada é o Cinnamomum Ceylandicum, procedente de Ceilão, onde é abundantemente cultivado. Também é explorada noutros países como Java, Sumatra e a América do Sul. Das cascas dos ramos novos obtêm-se os delicados cilindros, pardo-avermelhados, utilizados no comércio. Caracterizam-se por um sabor fortemente aromático, algo picante e ao mesmo tempo doce. Composição Um óleo essencial que atinge proporções de 0,5 a 4 %. Também contém uma suave resina aromática, um corante que tem ferro e gomas. Aplicações.

Salsa

Salsa

A salsa (Petroselinum sativum) conta-se entre as Umbelíferas. Encontra-se cultivada e subespontânea em todo o Portugal. Há que distinguir entre a salsa frisada e a de condimento. Da primeira, fazem-se várias sementeiras seguidas no Verão. Para as necessidades do Inverno semeia-se à profundidade oportuna em carreiras, à distância entre si de 20 centímetros, entre os fins de Julho e Agosto. O corte frequente do talo das folhas, rente com o solo, aumenta a densidade da folhagem na planta. Consegue-se em grande quantidade quando se transplantam as raízes para sulcos especiais à distância de 30 centímetros. Composição e propriedades As sementes de salsa, de emprego sobretudo medicinal, contem um óleo com.