Natureza da doença

Natureza da doença

Em termos gerais, a diabetes é uma doença do metabolismo, na qual o organismo não está em condições de assimilar o açúcar da alimentação. No intestino transformam-se em glicose todas as espécies de féculas ingeridas com os alimentos. A glicose procedente do intestino já não se transforma no fígado nem nos músculos dos diabéticos em forma de glicogênio, mas é simplesmente eliminada pela urina. A presença de glicose na urina é o sintoma característico da dita doença. Normalmente, o fígado acumula a glicose ingerida transformando a glicogênio, que, por sua vez, segundo as necessidades do organismo, e por estímulo da adrenalina, é decomposto de novo em glicose, sendo então queimada.

Fundamentos da acumulação de gordura

Fundamentos da acumulação de gordura

Não vamos falar aqui da obesidade causada evidentemente pela inatividade e superalimentação, isto é, devida à falia de movimentos e ao consumo excessivo de alimentos ricos em gorduras e que portanto, só se pode corrigir mediante mais trabalho corporal e mais parca alimentação. As nossas reflexões vão mais dirigidas para os numerosos enfermos que, apesar de realizarem um forte exercício físico e comerem pouco, acumulam, contudo, quantidades molestas de gordura. As gorduras ingeridas com os alimentos passam momentaneamente sem transformação pelo estômago (como todos sabem, consumidos em grande quantidade tornam o estômago pesado), e é só no duodeno que se transformam numa fina emulsão sob a influência da bílis e,.

Papel da insulina na diabetes

Papel da insulina na diabetes

O que ficou dito sobre a natureza desta doença deve bastar para fazer ver claramente que a presença de glicose na urina não é o fundamental. As cifras de glicose eliminada são de pouca importância, desde que não se conheça a quantidade global de glicose eliminada em vinte e quatro horas. Não é possível cessar a eliminação mesmo mediante a privação de todos os alimentos com teor de glicose. Assim só se tem feito desaparecer temporariamente um dos sintomas, mas não se produziu qualquer melhoria na própria doença. Segundo o nutricionista, a limitação de hidrocarbonatos na nutrição equivale a «jogar às escondidas com a eliminação da glicose». A glicose desaparece.

Regimes

Regimes

Limpeza anual do sangue É principalmente na Primavera que se manifesta em maior grau que todos nós passámos por uma serie de estados enfermiços que hoje se chamam «insuficiências», mas que antigamente se denominavam «impurezas do sangue». Mesmo quando hoje estamos em condições de indicar com exactidão quais são as «insuficiências» à custa de complicadíssimas investigações laboratoriais, as «impurezas do sangue» ou, melhor, os «produtos de refugo dos tecidos» e as «misturas de humores» são difíceis ou impossíveis de comprovar e não têm, portanto, a consideração suficiente na medicina oficial. Seja como for, não podemos menosprezar a ideia muito popular e expressiva dos «produtos residuais dos tecidos», pois conhecemos numerosos.

Cárie Dentaria

Cárie Dentaria

Origem e formação das cáries A teoria da formação local da cárie data dos últimos vinte anos do século xix, quando a bacteriologia começou a imprimir o seu cunho em todas as investigações c cm todas as ideias. Trata-se da chamada teoria químico-parasitária da cárie de Miller e que, infelizmente, continua a ser a única aceite por muitos representantes da ciência. Diz esta teoria que a cárie se produz assim: os resíduos de alimentos que ficam entre os dentes (hidrocarbonatos) fermentam, produzindo ácidos. Estes privam os dentes das substâncias calcárias. O ponto enfraquecido fica exposto ao ataque das numerosas bactérias, sempre presentes na boca, que vão destruindo o dente. Se.