A capuchinha (Tropaeolum majus) não se deve confundir com o mastruço.

Efeito como bactericida

Esta planta desenvolve uma considerável actividade bactericida. Ocorre, além disso, o facto de uma substância cuja natureza química desconhecemos desenvolver a sua actividade em forma de gases voláteis, o que apresenta uma grande transcendência prática. Um cientista demonstrou, mediante ensaios próprios, que quando se consome uma salada de capuchinhas, a matéria gasosa antibacteriana ainda se pode localizar na urina, nove horas depois. Novos ensaios mostraram a sua eficácia contra germes de doenças, sobretudo bactérias de pus e intestinais, assim como o tifo. a disenteria, a difteria e a pneumonia. É verdadeiramente impressionante que todos os modernos tratamentos das doenças infecciosas provocadas por bactérias na base dos mais modernos bactericidas, como a penicilina e tantos outros, encontrem aqui um elemento análogo e inclusive mais perfeito, já que os nossos produtos artificiais provocam efeitos secundários prejudiciais, ao passo que basta consumir capuchinha em salada, se não se preferir ao natural. Na prática também dá bom resultado o seu emprego nas inflamações da pélvis renal e da bexiga, no catarro bronquial, nas infecções gripais devidas a vírus, nas inflamações das amígdalas e dos ouvidos e nos resfriamentos.

Comentários