Tomates assados

200g de pão integral ou pão branco, 200 g de puré de tomate, 25 g de cebola, meio dente de alho, um punhado de ervas silvestres e de especiaria (salsa, borragem, urtiga, um pouco de salva e de artemísia), dois ovos, de 50 a 100g de manteiga, um pouco de sal e miolo de pão.
Embebe-se O pão integral ou branco num puré de tomate, que deve ser o mais espesso possível e pica-se à mão ou mecanicamente com as cebolas, o alho e as ervas silvestres ou de especiaria, para se conseguir uma massa, o mais fina possível. Bate-se esta massa firmemente com os ovos, a manteiga derretida e um pouco de sal; enche-se depois com tudo isto uma forma untada de gordura e polvilhada com miolo de pão e leva-se ao forno, onde ficará cerca de uma hora, a fogo lento. O melhor é colocar a forma numa chapa de bordo alto, no forno; no fim de uma meia hora, deitar água na chapa ou impedir que o assado se queime na sua parle interior. Pode assim voltar-se melhor e cortar às fatias da espessura que se quiser.

Aipo assado

200g de pão integral ou pão branco, um quarto de litro de água, 200 g de aipo. 50 g de manteiga, dois ovos, um pouco de sal, uma cebola pequena, meio dente de alho, ervas de especiaria muito picadas, como salsa, folhas de aipo, manjerona e manjericão.
O pão integral ou branco embebe-se em água e passa-se com o aipo cozido pela máquina de picar, para se conseguir uma massa muito fina.
Bate-se depois a massa com manteiga derretida, com os ovos inteiros, juntando sal a gosto, e misturando a cebola pequena, o alho e as ervas muitíssimo bem picadas; põe-se tudo numa forma untada de gordura e polvilha-se com miolo de pão. Deixa-se no forno, durante uma hora.
O resto da preparação come-se com os tomates assados.

Lentilhas assadas

125g de lentilhas 200 g de pão integral, um quinto de litro de leite, 50 g de cebolas cruas, dois ovos, de 50 a 100 g de manteiga, um pouco de sal. 50 g de ervas silvestres e de especiarias finamente picadas (como folhas tenras de urtiga, margaritas, tanchagem, dente-de-leão, tomilho, manjerona, mil-em-rama e segurelha) e miolo de pão.
Fervem-se as lentilhas até ficarem quase tenras, depois (sem caldo) com pão integral embebido em leite e a cebola crua, às rodelas finas, passam-se pela máquina de picar. Bate-se a massa com as gemas e a manteiga derretida e tempera-se com sal e com as ervas de especiaria, muito picadas. Finalmente junta-se a clara, em ponto de neve, enche-se com a massa uma forma untada com gordura e polvilhada com miolo de pão, deixando-se no forno uma hora a fogo lento.
Restos deste assado, cortado às rodelas e frito de novo brevemente na frigideira, servem para sanduíches.

Assados vegetarianos

250 g de flocos de cereal verde, meio litro de água, 30 g do cebola, um pouco de especiaria de cogumelo em pó, manjerona, a ponta de uma faca de manjericão seco, extracto de levedura à descrição, 20 g de queijo de ervas ralado, flocos de aveia e 50 g de gordura.
Os flocos demolham-se com água até formar um puré espesso.
Juntam-se-lhe as cebolas refogadas em azeite, a especiaria de cogumelo em pó, a manjerona e o manjericão e, à descrição, o extracto de levedura e o queijo de ervas ralado. Se a massa não for bastante espessa para cozer, juntar-lhe flocos de aveia. Forma-se, então, com a massa um pão que se polvilha com miolo. Numa frigideira grande, coze-se este assado, durante uma hora aproximadamente, com frequente adição de gordura, cobrindo-o finalmente de nata ácida.

Assado de requeijão

125g de requeijão, algumas colheres grandes de leite ou nata, um ovo, 50 g de flocos de cereais ou de pão integral ralado, a ponta de uma faca de cominho moído, uni pouco de salva, 25 g de cebolas, um pouco de sal e outras ervas de especiaria à descrição.
Bate-se o requeijão com o leite ou a nata e os flocos de cercais ou o pão integral, até formar uma massa suave. A isto junta-se o cominho tímido, um pouco de salva, as cebolas e, conforme o paladar, sal e algumas das ervas de especiarias que se preferirem. Se não houver nata, usar leite, juntando um pouco de manteiga. Com a massa enche-se uma forma untada de gordura e polvilha-se com miolo de pão; embebe-se a parte superior com leite e leva-se a cozer ao forno.

Frituras de requeijão

Prepara-se a mesma massa, mas um pouco mais espessa, juntando-lhe mais flocos de cereais ou mais pão integral ralado, de modo que se possam preparar rodelas que se fritem dos dois lados.

Frituras de cevada e ervas de cheiro

Uma chávena de cevada perlada ou de sêmola de cevada, três chávenas de água. 50 g de gordura, duas chávenas de urtigas cruas picadas, um pouco de sal e cebola.
A cevada perlada ou a sêmola de cevada devem ter sido postas de molho, durante a noite anterior, na água e coze-se na água até formar uma massa espessa. As cebolas e as urtigas refogadas em gordura misturam-se com a massa, condimentando com sal. Fazem-se então as frituras, dourando-as dos dois lados.

Frituras de flocos de cereais com puré de sabugueiro

Três chávenas de flocos de cereais ou de miolo de pão, três chávenas de puré de roseira silvestre sem adoçar e diluído, cebolas e ervas de cheiro bem picadas, sal e um ovo.
Os flocos de cereais ou os miolos de pão embebem-se no puré diluído, sem açucarar, de rosa silvestre e deixam-se repousar até ficarem totalmente ensopados. Mistura-se então a massa com as cebolas e as ervas de cheiro, muito bem picadas, sal à descrição, e o ovo , e formam-se as frituras que na gordura fervente devem ficar bastante douradas.

Filhós de aveia com puré de rosa silvestre

125 g de aveia, duas chávenas de puré de rosa silvestre diluída, sem açucarar, extracto de especiaria, uma cebola bem picada, dois ovos e gordura de fritar.
Cobrem se os flocos com o puré de rosa silvestre diluído e sem açucarar, dissolvendo neste um pouco de extracto de especiaria e deixando repousar durante uma noite. Misturam-se depois com isto as cebolas e o ovo: fazem-se pequenos montes com uma colher na frigideira com gordura quente, depois achatando-o com uma colher e fritando-os dos dois lados.
Para muitas outras frituras e molhos picantes, maioneses e pratos mistos, pode empregar-se o puré, sem açúcar, de rosa silvestre, em vez de puré de tomate.

Fiambre vegetariano

Uma chávena de puré de noz, ou germes de trigo, finamente ralados, 50 g de manteiga, meia chávena de farinha de batata, meia chávena de flocos de levedura, uma cebola grande muito picada, sal à descrição, meia colher pequena de cominho moído, meia colher pequena de bagas de zimbro secas, manjerona, tomilho, basílico e outras ervas de cheiro, duas colheres grandes de sumo de limão, uma batata crua ralada (uns 70 g) e duas chávenas de água.
O puré de noz ou os germes de trigo, a farinha de batata, os flocos de levedura alimentaria, as cebolas muito picadas, um pouco de sal, o cominho moído, as bagas de zimbro moídas, as ervas de cheiro, à descrição, o sumo de limão e as balatas cruas raladas, mexem-se com manteiga derretida e as duas chávenas de água; deita-se numa forma de pudim untada com gordura ou num recipiente com tampa que se feche bem; leva-se ao lume, pelo menos uma hora, em banho-maria. Quando arrefecer, extrai-se o fiambre e serve-se às falias. A massa também se pode assar como os tomates.

Comentários