Os grãos de cereais, alimento universal

Os grãos de cereais, alimento universal

Os cereais têm constituído em todos os povos civilizados e com todos os tempos a base da alimentação, embora o aproveitamento e o emprego de cada espécie cereal, ao longo da História, se tenha visto submetido a frequentes mudanças. A mesma variação tem tido e ainda hoje continua a ter o método de preparação dos grãos. A maior parte deles e os mais importantes pertencem à família das Gramíneas, como, por exemplo, as duas variedades mais seletas de cereais panificáveis, o centeio (Secale cereale) e o trigo (Triticum vulgare) e, além disso, a cevada (Hordeum distichum), a aveia {Avena sativa), o milho-miúdo (Panicum miliaceum) e o milho grosso ou vulgar.

Pão integral

Pão integral

Já de há anos a esta parte que os mais conhecidos especialistas de nutrição defendem o consumo do pão integral, visto as suas vantagens perante o pão branco serem muito maiores do que geralmente se supõe. 1 —As proteínas do pão integral são biológica mente muito mais valiosas do que as do pão fino ou médio, incompleto e pobre. Tanto as proteínas de germe como as de glúten são muito bem assimiladas pelo homem. 2 — 0 pão integral é a fonte mais importante de vitamina B e ocupa o primeiro lugar alimentar. Com um consumo diário aproximadamente de 250g fica coberta, de unia maneira geral, a quantidade necessária dessa.

Levedura

Levedura

Os antigos remédios medicinais voltam a ser descobertos de vez em quando. Assim aconteceu com a levedura, que volta a ter grande popularidade. O «Pai da Medicina», Hipócrates, já conhecia o emprego e o valor da levedura. Os monges medievais empregavam-na contra as chagas, e nos tempos modernos é empregada na «depuração do sangue» e na cura de furúnculos. Composição Só a idade moderna, com os seus conhecimentos sobre o significado das vitaminas e das hormonas, tomou a levedura como objecto de investigação. Observou, com assombro, que na levedura se encontrava um verdadeiro tesouro de matérias de grande actividade biologica, como vitaminas (sobretudo do grupo B), valiosos aminoácidos,’ assim como.

Óleo de linho

Óleo de linho

O linho (Lifium usitatissimum) é uma planta de antiquíssima cultura, que já era cultivada na velha Babilónia. Também nas sepulturas egípcias se têm encontrado sementes de linho. Parece que os Egípcios não só aproveitavam a planta por causa das sémentes ricas em óleo, como também chegaram a descobrir a confecção de fibras e de tecidos de linho, atingindo uma grande perfeição. Composição O óleo de linho (Oleum lini), obtido das sementes por compressão a frio, contém os glicéridos sólidos e fluidos dos ácidos palmítico, esteárico, mirístico, araquidónico, oleico, linólico, linoleico e isolinoleico, além de cera, resina, sal e compostos proteicos; possui numerosos efeitos curativos. Efeitos terapêuticos O óleo gordo combinado.

Utilização das massas de cereais

Utilização das massas de cereais

Massa fresca de cereais (pequeno-almoço Kollath). Tomam-se, por pessoa, uns 50 g de trigo triturado fresco (3 colheres grandes), 5 colheres grandes de água, 15 g de frutos secos doces, 100 g de maçã ou de outra fruta madura fresca, 10 g de amêndoas frescas moídas ou uma colher pequena de doce de noz ou uma colher grande de nata. Mói-se o trigo em flocos todas as tardes com um moinho de cereais ou de café; dissolve-se em 5 colheres grandes de água e deixa-se repousar durante a noite (à temperatura da casa). Ao mesmo tempo põem-se de molho as frutas secas. Preparação: de manhã, misturam-se os frutos secos com.