Vitamina D/ D3

Vitamina D/ D3

Denominação química Calciferol A vitamina D3 é a provitamina natural que antigamente se denominava «vitamina D». A vitamina D3 é um produto de irradiação do 7-dehidro-colestrol. A vitamina D2 ou calciferol é um produto de irradiação do ergosterol. Função característica Vitamina anti-raquítica. Modo de actuação Regula o metabolismo do fósforo e do cálcio. Melhora, essencialmente o metabolismo do cálcio e permite a formação do complexo de cálcio-fósforo, necessário para a ossificação normal. Fomenta o desenvolvimento. Também devem corresponder ás vitaminas D outros efeitos, até agora desconhecidos. Já se conhece a sua relação com a glândula paratiróide que regula sobretudo o metabolismo. Fontes naturais Em óleo de fígado de peuixes (emulsºoes.

Factor PP

Factor PP

Designação química e função característica Nicotinamida. Factor antipelagroso. Modo de actuação Como as vitaminas B1 e B2, constitui o acido nicotinico um elemento constitutivo de importantes fermentos, transportadores de hidrogénio, que intervém na composição e decomposição dos hidratos de carbono, dos álcoois e dos ácidos gordos. O ácido nicotínico e a nicotinamida participam, além disso, na formação do sangue e tornam-se imprescindíveis para a função normal dos órgãos digestivos, do sistema nervoso e da pele. Para muitos seres minúsculos vivos, especialmente as bactérias, é esta vitamina um factor de crescimento imprescindível. Fontes naturais Levedura, cereais, fruta, legumes. Necessidades diárias no homem Homem: 12-18 mg Mulher: 10-15 mg Durante a gravidez:.

Mudanças nas condições de vida, trabalho e residência

Mudanças nas condições de vida, trabalho e residência

Insuficiente radiação solar As mudanças mencionadas levaram a uma ligação deficiente do corpo com o ambiente natural, com o mundo que nos cerca. É assim que especialmente a população urbana sofre de uma radiação solar insuficiente. Por cima de todas as grandes cidades, nomeadamente nas de tipo industrial, forma-se uma camada constituída por poeira, fuligem e fumo que absorve os raios ultravioletas do sol, com a consequência de uma radiação insuficiente e, por isso, de uma escassa formação de vitaminas na pele dos seus habitantes. Tomamos com os alimentos, por exemplo, as provitaminas D, a ergosterina, que se depositam na pele e que vão sempre necessitando da actuação dos raios ultravioletas.

Regras na cozinha

Regras na cozinha

E agora, para facilitar à dona de casa a sua tarefa cheia de responsabilidade e de tão grandes consequências, há que ter em conta as seguintes regras, que solucionam os problemas até aqui apresentados: 1. Todas as refeições devem começar com alimentos crus, conforme o permitir a época do ano. A nossa nutrição exige que estes alimentos constituam, como mínimo, a décima parte do regime total. 2. Uma alimentação em que predomine farinha integral, leite e produtos lácteos, nozes, frutas, legumes, verduras, tubérculos e raízes raladas, batatas cozidas sem as descascar, frutos tropicais, pão integral e azeite vegetal extraído a frio, considerando completamente ocasional a carne, o peixe, os ovos.

Vitamina B1

Vitamina B1

Designação química e função característica Aneurina. Tiamina. Vitamina antineurítica. Vitamina antiberibérica. Modo de actuar Unida a uma molécula de proteína específica a vitamina B desempenha um importante papel no metabolismo dos hidratos de carbono (carboxilase). Intervém no metabolismo dos hidratos de carbono. A sua falta produz, por exemplo, a acumulação de ácido pirúvico como substância residual no metabolismo e dá origem, por isso, ao aparecimento de graves doenças, especialmente no sistema nervoso. A vitamina B1 é, sobretudo, uma decisiva substância activa, no sistema nervoso. A necessidade do seu consumo aumenta, no sistema nervoso, consideravelmente, quando se efectua um forte trabalho muscular, com uma alimentação em que predominam, com excesso, os.