Acidificação do leite

Acidificação do leite

Com objectivo de ser produzir uma finíssima coagulação do leite encurtando-lhe o tempo de permanência no estômago, deve acidificar-se, mediante a adição de ácido láctico, ácido cítrico ou sumo de limão. O modo de atuar nestes casos facilita-se utilizando tabletes de ácido cítrico, juntando uma pastilha por cada 100g do liquido, ou então o sumo de limão conforme se indica na receita número 5.

Receitas para a criança

Receitas para a criança

Receita 1: preparação ao caldo de aveia (a 4%). 20 g de flocos de aveia são postos a cozer com água fria, na quantidade de meio litro, à chama lenta, durante 1 a 1 hora e meia. Passa-se a massa formada por uma peneira fina e restitui-se a água perdida na cocção até aos 500 g com água fervida. Isto mesmo se pode conseguir, de maneira mais fácil e rápida, utilizando para a preparação do caldo de aveia os preparados de caldos artificiais. Receita 2: Preparação da água de arroz. 60g de arroz integral (nunca farinha) deixam se amolecer durante 12 horas num litro de água; põem-se a cozer, durante.

Regime nas diarreias agudas da criança

Regime nas diarreias agudas da criança

A diarreia habitual (gastrenterite) acompanhada de vômitos (dispepsia) das crianças apresenta-se geralmente como sintoma das infecções das vias respiratórias superiores, da infecção intestinal, da ma alimentação (diarreia por alimentação gorda ou amilácea) ou da hipersensibilização (alergias) ao leite de vaca. A primeira coisa a fazer é suprimir toda a alimentação e manter a criança 6-12 horas em dieta de infusões. Nestas 12 horas, podem juntar-se às infusões de macela 3 % de glicose, 0,3 % de sal e 100 mg de vitamina C. A partir das 12 horas estabelece-se uma dieta antidispéptica, composta especialmente de cenouras, macas, groselhas ou água de arroz. A partir do terceiro dia, inicia-se um regime.

Vantagens do leite materno

Vantagens do leite materno

Não há dúvida de que a melhor e mais natural alimentação do lactente é constituída pelo leite materno, quando é tomado pela criança diretamente do peito da sua mãe. Se for possível, a criança deve ser amamentada pela sua mãe durante os seus oito primeiros meses de vida. Infelizmente, isto é muito raro nos tempos que vão correndo, nos países ocidentais, altamente civilizados, nos quais se considera mais «moderno» o uso de biberão. Trata-se muitas vezes de uma desculpa de que só se deveria deitar mão no caso de não ser suficiente a alimentação do peito da mãe. É lamentável ver que o que falta, muitas vezes, nas jovens mães.

Leite «a metade» e «a três quartos»

A diluição do leite, a metade, na preparação de papas, com a adição de 5 % de açúcar, faz-se misturando 400 g de leite, 400g de matéria empregada para a papa e 40 g de açúcar, amplamente empregada nos primeiros três meses. Tem, contudo, o inconveniente de ser pobre em gorduras e aminoácidos essenciais, como o triptófano, pelo que este leite «a metade» se dá apenas durante o primeiro mês, sendo substituído desde o começo do segundo pelo «leite a três quartos», constituído por 400 g de leite. 200 g de papas de farinha, 30 g de açúcar, ou 42 g de mel. A regulamentação das quantidades a empregar depende.