Vantagens do leite materno

Vantagens do leite materno

Não há dúvida de que a melhor e mais natural alimentação do lactente é constituída pelo leite materno, quando é tomado pela criança diretamente do peito da sua mãe. Se for possível, a criança deve ser amamentada pela sua mãe durante os seus oito primeiros meses de vida. Infelizmente, isto é muito raro nos tempos que vão correndo, nos países ocidentais, altamente civilizados, nos quais se considera mais «moderno» o uso de biberão. Trata-se muitas vezes de uma desculpa de que só se deveria deitar mão no caso de não ser suficiente a alimentação do peito da mãe. É lamentável ver que o que falta, muitas vezes, nas jovens mães.

Como alimentar a criança

Como alimentar a criança

Toda a técnica de dar o peito ao pequeno consiste em fazê-lo de modo que não se torne um ato molesto para nenhum dos intervenientes. Nos primeiros dias, nos quais a criança permanece continuamente deitada, deve também a mãe dar-lhe de mamar deitando-se precisamente para o lado do peito que vai utilizar. Depois, há-de sustentar o pequeno com um braço de tal maneira que nele descansem a cabeça e o ombro da criança e com a outra mão levantará o peito até à posição exata para lhe introduzir o mamilo na boca, devendo o nariz estar completamente livre. Quando a mãe já não estiver de cama, realizará sempre esta operação.

Alimento dobrada

Alimento dobrada

Quando um pequeno tem à sua disposição leite suficiente no peito materno e este é racionalmente utilizado e mesmo assim o pequeno não engorda, não há que procurar a causa na natureza do leite, mas sim, na constituição da criança. Em tais casos há que recorrer a uma alimentação dobrada unindo ao leite materno o biberão. Este tipo de alimentação tem sido amplamente ensaiado como superior à alimentação completamente artificial; pode ser muito recomendável no caso de, como dizíamos, o leite da mãe não ser suficiente para a alimentação do filho, ou de, por motivos puramente econômicos ou sociais, a mãe não poder dar o peito ao filho mais de.

Acidificação do leite

Acidificação do leite

Com objectivo de ser produzir uma finíssima coagulação do leite encurtando-lhe o tempo de permanência no estômago, deve acidificar-se, mediante a adição de ácido láctico, ácido cítrico ou sumo de limão. O modo de atuar nestes casos facilita-se utilizando tabletes de ácido cítrico, juntando uma pastilha por cada 100g do liquido, ou então o sumo de limão conforme se indica na receita número 5.

Leite «a metade» e «a três quartos»

A diluição do leite, a metade, na preparação de papas, com a adição de 5 % de açúcar, faz-se misturando 400 g de leite, 400g de matéria empregada para a papa e 40 g de açúcar, amplamente empregada nos primeiros três meses. Tem, contudo, o inconveniente de ser pobre em gorduras e aminoácidos essenciais, como o triptófano, pelo que este leite «a metade» se dá apenas durante o primeiro mês, sendo substituído desde o começo do segundo pelo «leite a três quartos», constituído por 400 g de leite. 200 g de papas de farinha, 30 g de açúcar, ou 42 g de mel. A regulamentação das quantidades a empregar depende.