O alho-porro (Allium porrum) é cultivado largamente em toda a Península Hispânica. O pequena bolbo, de escassa reprodução, dispõe de um grande número de raízes fibrosas e brancas, sem ramificações na terra. Folhas grandes, lineares e de nervuras longitudinais rodeiam os bolbos que ficam enterrados no chão.
A partir de Junho extraem-se do solo os bolbos com folhas e talos. Para o Inverno, colocam-se as plantas em lugar protegido, ao ar livre ou no sótão. Como a planta se tem de manter fresca para o seu consumo imediato, não é recomendável a dessecação.

Composição e propriedades

A matéria activa principal é um óleo enxofrado o essencial (óleo de alho) que, entre outros componentes, contém sulfureto de alilo, que exerce uma suave excitação sobre as glândulas das vias gastrintestinais e no fígado, pâncreas e vesícula biliar, evitando a formação de produtos de fermentação e de acção e abrindo o apetite. Encontramo-nos, pois, com:

a) Um efeito sobre o aparelho digestivo em geral.

b) Um efeito sobre as vias respiratórias. Como o óleo de alho é expelido em parte pelos pulmões, torna-se mais fácil a reparação das vias respiratórias nos catarros bronquiais.

c) Um efeito sobre as vias urinárias. Além disto, o alho-porro também exerce um efeito diurético, devido ao conteúdo em óleos essenciais, potássio, ácido salicílico, nitrato sódico e magnésio.

d) Uma crescente excitação dos centros de formação de sangue, devido ao seu conteúdo cm compostos orgânicos de ferro. Não devemos menosprezar o seu conteúdo em vitamina C, sobretudo por se dispor dela durante o Inverno.

Aplicações

1. Como planta curativa, o alho-porro conta na medicina com pequena consideração, embora seja ao mesmo tempo um alimento e um remédio. É eficaz contra deficiências de vitamina C, doenças renais, doenças do metabolismo, obesidade, degeneração de vasos do sangue, ajudando nos catarros bronquiais agudos e, sobretudo, nos crónicos, assim como nas doenças do fígado, estômago e intestinos.

2. Como legume e salada. O alho-porro presta-se igualmente para consumo cru ou cozido. Este último é excelente no Inverno como depurativo do sangue. Aproveitam-se para isso as folhas.

3. Como condimento. O alho-porro é tradicionalmente conhecido como condimento para sopa. Mas deve ser adicionado sempre quase no fim para ser pouco cozinhado. A maior parte das vezes emprega-se nas sopas de batatas e em molhos. Totalmente cru, emprega-se como condimento em saladas de verduras, com batatas e com requeijão. Também é bom para regimes crus e dietas. Os rebentos que aparecem no segundo ano nas raízes das plantas são muito saborosos adiciona dos a saladas, a legumes e à carne.

Comentários