A origem do açafrão (Crocus sativus) tem de se procurar no Oriente. Pertence à família das Iridáceas. O açafrão é pouco cultivado em Portugal. O que farmacêuticamente se conhece por açafrão (Crocus) são os estigmas secos e vermelhos que pendem em todo o seu comprimento das flores. Para um quilo de açafrão são necessárias 100 000 flores. Por isso o seu preço é muito elevado e falsifica-se com frequência.

Composição e aplicações

As matérias activas até hoje conhecidas são a crocina, a picroína, que dá origem a um óleo essencial, e ainda o caroteno, o licopeno e ricos hidrocarboretos alifáticos (segundo Madaus). O açafrão mostra claros efeitos sobre a matriz. É receitado pelos médicos na dose pertinente nos casos de regras dolorosas e nas faltas de menstruação. Torna-se também eficaz nos fenómenos nervosos e espasmódicos.

Aplicações

Como planta medicinal só segundo prescrição facultativa no caso de regras dolorosas.
Como especiaria pode empregar-se em pastéis e sopas em quantidades muito pequenas (só alguns pistilos).

Comentários