Desde há algum tempo a esta parte que se está lembrando o valor da massa de cereal, por se haver provado que as populações consumidoras de pão sofrem de mais cáries dentárias do que as que tem como base da sua alimentação a massa cereal. É assombroso verificar que já por si a maioria dos seres humanos preferem a massa.
A massa, que geralmente se prepara com leite, tem a valiosíssima característica de compensar a insuficiência dos cereais em cálcio e vitamina A e C. O máximo valor nutritivo é alcançado sem dúvida por uma mistura de grãos, porque assim se completam com os seus efeitos todas as distintas variedades de cereais. Além disso, não só se completa assim a proteína cereal, como também se sanará a falta de alguns elementos fundamentais da proteína (os aminoácidos: triptófano, cistina e Lisina) em cada um dos cereais separadamente.
Para a preparação da pasta utilizam-se especialmente cereais pouco ou nunca empregados para a elaboração do pão, isto é, a escândea, a cevada, a aveia, o milho-miúdo, o milho vulgar, O arroz e o trigo sarraceno.
Não deve pôr-se de parte o bom hábito, ainda praticado especialmente pelas famílias que têm muitos filhos, de consumir ao pequeno-almoço um prato de espessa massa de cereais, nem substituí-lo pelo consumo de chá ou de café com pão branco e marmelada.

Comentários