Deve o tuberculoso « nadar em gordura»?

Deve o tuberculoso « nadar em gordura»?

Corno a tuberculoso se tem contado sempre entre as doenças infecciosas crônicas «consumptivas», predominou durante muito tempo o critério de que os tuberculosos deviam comer o mais possível. Mas, pensando-se assim, esquecia-se que a defesa contra a infecção estendia até ao máximo as forças do organismo e que, portanto, uma superalimentação não só era inútil como também viria a ser prejudicial com a consequente carga no metabolismo e na circulação. Os casos excepcionais em que se indica uma «cura de engorda», ordenada e controlada por médico, nada indicam. Mantém-se hoje o critério de que o tuberculoso deve ser perfeitamente alimentado, isto é, pelo modo mais natural e prudente possível, deixando.

Calendário de Verduras e Saladas Silvestres

Nome cientifico  comum Elemento botânico empregado Época de colheita Modo de usar Agrião (Nasturium Officinale) Rebentos e folhas recentes Fevereiro – Outubro Salada, verdura, regimes depuradores do sangue. Alface de Cordeiro (Valerianela olitoria) Rosetas de folhas Outubro – Dezembro Salada e sopa Alho de Urso (Allium Ursinum) Folhas Abril – Maio Salada, sopa, aditamento com espinafre e urtiga Armole (Chenopodium bonus Henricus) Rebentos tenros, folhas Abril – Outubro Salada, legumes, sopa Azedas (Humex acetosa) Folhas Abril – Maio Salada, Legumes e complemento Cerefolho (Anthriscus cerofolium) Toda a planta Abril – Junho Salada, complemento de salada, sopa com azedas Dente de Leão (Taraxacum officinale) Folhas tenras Abril – Julho Salada, legumes.

Pâncreas

Pâncreas

Quando se fala no pâncreas, a maior parte das pessoas pensam na secreção desta glândula, isto é, na produção de insulina, a hormona que se torna imprescindível para a combustão das matérias açucaradas e cuja falta provoca a diabetes ou enfermidade do açúcar (diabetes mellitus). Como se sabe, a insulina só se segrega numa parte reduzida do pâncreas, precisamente nas «células insulares» ou ilhotas cie Langerhans na parte posterior do tecido glandular. Muito pouca gente, porém, pensa na produção de pancreatina, outra função sumamente importante desta glândula que, ao contrário da insulina, não passa directamente para o sangue mas que, acumulada em diminutos vasos, se vai introduzindo pelo canal pancreático.

Utilização das massas de cereais

Utilização das massas de cereais

Massa fresca de cereais (pequeno-almoço Kollath). Tomam-se, por pessoa, uns 50 g de trigo triturado fresco (3 colheres grandes), 5 colheres grandes de água, 15 g de frutos secos doces, 100 g de maçã ou de outra fruta madura fresca, 10 g de amêndoas frescas moídas ou uma colher pequena de doce de noz ou uma colher grande de nata. Mói-se o trigo em flocos todas as tardes com um moinho de cereais ou de café; dissolve-se em 5 colheres grandes de água e deixa-se repousar durante a noite (à temperatura da casa). Ao mesmo tempo põem-se de molho as frutas secas. Preparação: de manhã, misturam-se os frutos secos com.

Espinafres

Espinafres

O espinafre (Spinacia oleracea) é uma Quenopodiácea, que provavelmente procede do Oriente. Cultivam-se na Península Ibérica, em grande quantidade, o espinafre comum ou de Inverno (Spinacia oleracea), e o espinafre da Holanda ou de Verão (Spinacia glabra) com propriedades semelhantes. Composição e propriedades Como em todas as hortaliças de folhas, o espinafre não possui um conteúdo extraordinário de substâncias nutritivas. Em 100 g de espinafre figuram 93 g de água, 23 g de proteínas, 0,3 g de gordura, e 1,8 g de hidrocarbonatos, e apenas umas 20 calorias. É, porém, importante o seu rico conteúdo de vitaminas, valiosos minerais em forma de sais, clorofila, oligoelementos e fermentos. Do que vamos.